Cuiabá, 23 de Setembro de 2019

CIDADES
Sexta-feira, 11 de Maio de 2018, 08h:29

CHIKUNGUNYA

Com mais de 10 mil casos de chikungunya em MT, Ministério da Saúde investiga duas mortes

Da Redação

(Foto: Divulgação)

CHIKUNGUNYA

 

O Ministério da Saúde (MS) divulgou um boletim epidemiológico que aponta a investigação de dois casos de morte, que podem ter sido causadas por chikungunya em Mato Grosso. O Estado avança no ranking nacional com um dos maiores índices de casos da doença e também de zika vírus.

 

O Governo Federal informou que, o Centro-Oeste apresenta a maior incidência, com quase 68% em relação aos demais Estados do país, sendo que 40% destes casos estão concentrados em Mato Grosso.  

 

De acordo com os dados coletados, entre 31 de dezembro do ano passado e 14 de abril deste ano, as cidades mato-grossenses com maiores índices de chikungunya são: Nossa Senhora do Livramento, com 793 casos para cada 100 mil habitantes, seguida por Várzea Grande, com 3.182 mil casos.

 

Entre as cidades com que têm de 500 mil a 1 milhão de habitantes, está Cuiabá, com 2.006 casos para cada 100 mil habitantes. De acordo com o boletim, são 26.475 mil casos no Brasil, sendo que 10,7 mil casos foram registrados no Centro Oeste e 10,4 mil se concentram em Mato Grosso.

 

Os dados foram separados com base no número populacional de cada município,  distribuídos da seguinte forma: menos de 100 mil habitantes; de 100 mil a 499 mil; de 500 mil a 999 mil e acima de 1 milhão de habitantes.

 

A região Centro-Oeste ficou em primeira colocada no ranking nacional com 10.714 mil casos de prováveis contagiados por febre de chikungunya. Em seguida constam as regiões Sudeste, com 9.179 mil casos, o que equivale a 10,6 % do total, e em terceiro lugar o Nordeste, com o registro de 3.893 mil, o que representa 6,8%.

 

Em 2017 Mato Grosso teve um caso confirmado de morte causada pela febre chikungunya. 

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) ainda não confirmou se há casos investigados e/ou confirmados de mortes causadas pela doença neste ano.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE