Cuiabá, 18 de Setembro de 2019

CIDADES
Quarta-feira, 22 de Maio de 2019, 19h:28

CRIANÇAS COMO "PRODUTOS"

Organizadores do evento "Adoção na Passarela" se manifestam após repercussão

Claryssa Amorim
Única News

Oab MT

Empresas organizadoras do evento "Adoção na Passarela" emitiram nota se manifestando, após repercussão, nesta quarta-feira (22). O evento foi realizado pela Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) em parceria com a Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), nesta terça-feira (21), no Shopping Pantanal, em Cuiabá.

A intenção do evento era de divulgar as ações do Ampara em prol da adoção de crianças e adolescentes, entre 4 a 17 anos, com o evento, onde eles acabam desfilando em passarela. Na internet, apesar da boa intenção, o evento foi alvo de críticas dizendo que as crianças foram expostas como "produtos de uma gôndola".

Em nota, a OAB esclareceu que o objetivo do evento não é expor as crianças como produto, mas sim de apresentar as crianças e adolescentes para a concretização da adoção. 

"A ideia da ação visa promover a convivência social e mostrar a diversidade da construção familiar por meio da adoção com a participação das famílias adotivas", cita a nota.

Ressaltou ainda que nenhuma criança e adolescente foi obrigada a desfilar e reação deles foram de "alegria com a possibilidade de participarem de um momento como esse". Além delas terem desfilado na copanhia de seus "padrinhos" ou pais adotivos.

Também por meio de nota, o Pantanal Shopping repudiou as críticas e esclareceu que o único intuito de receber a ação foi para "contribuir com a promoção e conscientização sobre adoção e os direitos da criança e adolescente com palestras e seminários conduzidos por órgãos competentes que possuem legitimidade no assunto", cita na nota.

O shopping ainda afirmou que o evento contou com o apoio do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), Poder Judiciário, além do governo do Estado, Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania, Sindicato dos Oficiais de Justiça, Associação Nacional do Grupo de Apoio à Adoção e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e Tribunal de Justiça do Mato Grosso.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE