Cuiabá, 23 de Agosto de 2019

CIDADES
Terça-feira, 03 de Julho de 2018, 11h:39

3ª INTERDIÇÃO

Secid retoma obras da ponte Benedito de Figueiredo; via está interditada

Da Redação

(Foto: Sicom/Prefeitura)

ponte benedito figueiredo- terceira interdição.jpg

 

Como prometido neste último final de semana, pela Prefeitura de Cuiabá - a interdição da Ponte Professor Benedito Figueiredo, na Avenida Engenheiro Quidauguro, ligando os bairros Coophema e Praeirinho -, foi realizada às 6h desta terça-feira (02). 

 

A interdição que ocorreria nesta segunda-feira (02) e transferida, foi necessária devido redução do número de servidores, por conta do decreto que estabeleceu ponto facultativo, em virtude da partida da Seleção Brasileira pela Copa do Mundo da FIFA 2018. Esta será terceira interdição para reformas em sua estrutura. Assim, à partir de hoje estará sendo dada a continuidade da obra de reconstrução da cabeceira da ponte Benedito de Figueiredo sobre o rio Coxipó

 

A via já está interditada nos dois sentidos e aproveita o período de férias escolares. O trabalho está sendo desenvolvido de forma estratégica em conjunto entre a Secretaria de Estado das Cidades (Secid), Defesa Civil municipal e Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá.

 

Entre os itens previstos na obra estão a estabilização da margem esquerda da cabeceira da ponte com a utilização de gabiões caixa (tipo de estrutura armada, flexível, drenante e de grande durabilidade e resistência) e o reaterro compactado da área.

 

A estratégia, segundo o secretário adjunto de Obras Públicas da Secid, Ernesto Negretti, é concluir a obra e devido o fluxo de veículos terminar o quanto antes, sendo prazo de termino de 15 dias. “A obra é urgente e faz parte do conjunto de prioridade do Governo de Mato Grosso. Queremos reiniciá-la e devolver à sociedade o tráfego sobre essa ponte, pois o bloqueio afeta o trânsito das avenidas Fernando Correa da Costa e Beira Rio”. 

 

Negretti esclarece que em fevereiro de 2017 a ponte foi interditada pela primeira vez devido ao desmoronamento de parte da margem esquerda da estrutura. O problema aconteceu devido à mudança no curso do rio Coxipó, que corta o local. Os reparos emergenciais foram feitos pela Prefeitura Municipal de Cuiabá com base em projetos elaborados pela Secid-MT, na época.

 

Após processo licitatório para obras que resolveriam totalmente o problema, a empresa A.I Fernandes Serviços de Engenharia iniciou os trabalhos. Terminado o prazo de 90 dias estabelecido para a conclusão total da obra, apenas 33% dos serviços foram executados, mesmo diante das notificações da equipe de fiscalização da pasta. Devido ao não cumprimento do cronograma de obra e de outras cláusulas contratuais, a secretaria rompeu o contrato com a construtora unilateralmente.

 

Após o reinício do período chuvoso, novos desmoronamentos ocorreram no local. A Defesa Civil de Cuiabá decretou situação de emergência e uma nova interdição total da Benedito de Figueiredo em dezembro de 2017.

 

Parceria

 

Desde o início dos primeiros desmoronamentos, em fevereiro de 2017, as interdições e medidas paliativas foram executadas por meio da parceria entre Estado e Município. A construtora Conenge, contratada emergencialmente, realiza a obra por R$ 514,4 mil.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE