Cuiabá, 17 de Junho de 2019

GERAL
Quarta-feira, 22 de Maio de 2019, 16h:03

“OBJETIFICAÇÃO E MERCANTILIZAÇÃO”

Defensoria Pública repudia evento ‘Adoção na Passarela’

Fernanda Nazário
Única News

Divulgação

A Defensoria Pública de Mato Grosso enviou à imprensa uma nota de repúdio ao evento “Adoção na Passarela”, realizado nesta terça-feira (21), pela Associação Mato-Grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT).

O desfile recebeu duras críticas por expor crianças e jovens de 04 a 17 anos aptos à adoção. Para a Defensoria, o evento, com a intenção de dar visibilidade a crianças e adolescentes, na verdade, as expõe ainda mais à situação de extrema vulnerabilidade social.

A entidade acredita que com esta ação corre-se o risco de a maioria das crianças e adolescentes não ser adotada, o que, segundo o órgão, pode gerar sérios sentimentos de frustração, prejuízos à autoestima e indeléveis impactos psicológicos.

“A grande exposição da imagem desses menores pode levar à objetificação e passar uma ideia de mercantilização, fato que não coaduna com os princípios norteadores da Constituição da República Federativa do Brasil (CF/88) e do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA)”, diz.

A Defensoria ressalta que é importante verificar que, não se pode, sob o pretexto de facilitar a adoção, usar práticas que atentem e violem a integridade psíquica e moral, conforme expressa o artigo 17 do ECA. A instituição orienta que as limitações éticas para busca de voluntários dispostos à adoção devem ser verificadas, sob a justificativa de que “os fins jamais poderão justificar os meios”.

“Por fim, o sonho de ser mãe ou pai deve ser tratado como um ato de amor e não como uma mercadoria a ser buscada numa vitrine. Diante do exposto, repudiamos o evento Adoção na Passarela”, conclui a instituição.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE