Cuiabá, 20 de Outubro de 2019

POLÍCIA
Quarta-feira, 19 de Junho de 2019, 12h:35

"OPERAÇÃO PLANO MORTAL"

Polícia cumpre 16 mandados contra facção criminosa envolvida em 5 homicídios

Única News
Com assessoria

Seis mandados de prisão e 10 mandados de busca de apreensão foram cumpridos durante a operação "Plano Mortal", deflagrada na manhã desta quarta-feira (19), em Cuiabá e Sinop (a 499 km de Cuiabá). De acordo com a Polícia Civil, os mandados são contra uma facção criminosa, envolvida em cinco homicídios, ocorridos na cidade entre os meses de março e maio deste ano.

Os mandados foram: quatro em Sinop e dois na Penitenciária Central do Estado (PCE), na Capital. E os 10 de busca e apreensão foram em casa dos integrantes da facção e uma ordem de apreensão contra um adolescente.

Em Sinop, foram presos Elton Rodrigues da Silva, Hailton Viana de Paula, Natanael Silva Reis e Viner dos Santos Alves. Tiveram mandados cumpridos na PCE em Cuiabá, João Luís Baranoski e Leonardo dos Santos Pires, identificados como líderes do grupo criminoso na região de Sinop.

Os crimes ocorreram entre os dias 20 de março a 22 de maio deste ano tendo como vítimas, Luiz Nei da Silva, Pablo Henrique Buenos Soares, João Marcos D Ávila Câmara, Fabrício Cardoso Pereira e Dener Patrick Aparecido.

Durante as investigações coordenadas pelo delegado, Carlos Eduardo Muniz dos Santos, foi identificado que os homicídios foram perpetrados a mando da facção, sendo representado pelas ordens judiciais contra os envolvidos nos crimes.

Segundo o delegado, dois dos alvos identificados, que também seriam presos na operação, morreram nos últimos dias em virtude do envolvimento em crimes. "A operação é eminentemente contra a facção criminosa que tem forte atuação na região e que no período de dois meses foi responsável por cinco homicídios ocorridos em Sinop", disse o delegado.  


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE