Cuiabá, 21 de Setembro de 2019

POLÍCIA
Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019, 18h:08

OPERAÇÃO ASSÉPSIA

TJMT liberta militares presos por facilitar entrada de celulares na PCE

Única News
Da Redação

(Foto: Reprodução)

Os policiais militares Cleber de Souza Ferreira, Ricardo de Souza Carvalhaes de Oliveira e Denizel Moreira dos Santos Júnior, presos na Operação Assépsia, em junho desse ano, tiveram as prisões preventivas revogadas pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), nesta quarta-feira (21).

Os militares são acusados de facilitar a entrada de celulares na Penitenciária Central do Estado (PCE). Mesmo com o recurso atendido, o militar Cleber Ferreira segue preso por outra acusação. Dessa vez, ele é investigado por envolvimento na venda ilegal de armas e teve novo mandado de prisão cumprido nesta quarta.

Seguem presos os diretores da PCE, Revétrio Francisco da Costa e Reginaldo Alves dos Santos, detidos na operação.

A operação

A operação foi deflagrada no dia 18 de junho e resultou na prisão dos sete suspeitos e oito mandados de busca e apreensão. Os mandados foram decretados contra cinco servidores públicos e dois internos da Penitenciária Central do Estado (PCE).

As 15 ordens judiciais são da 7ª Vara Criminal de Cuiabá e foram expedidas depois de representação da Polícia Civil e manifestação favorável do Ministério Público Estado, via o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).

No dia 6 de junho, na Penitenciária Central do Estado (PCE), foram localizados 86 aparelhos celulares, dezenas de carregadores, chips e fones de ouvido.

Todo o material estava acondicionado dentro da porta de um freezer, que foi deixado naquela unidade para ser entregue a um dos detentos.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE