Cuiabá, 17 de Junho de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 10 de Junho de 2019, 10h:36

RESERVAS FINANCEIRAS

AL cobra informações do Estado sobre 13º dos servidores e ICMS na energia

Unica News
(Com Assessoria)

(Foto: Roger Perisson)

A Assembleia Legislativa aprovou, na última semana, requerimento de autoria do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que cobra informações do governador Mauro Mendes (DEM) a respeito das reservas financeiras feitas mensalmente pelo Estado para honrar o pagamento do 13º salário dos servidores públicos estaduais.

O pedido do parlamentar foi motivado pelas últimas informações divulgadas  a respeito das finanças públicas como o não reconhecimento do decreto de calamidade financeira pela equipe econômica do governo federal bem como a decisão do Tesouro Nacional em não aceitar ser avalista de Mato Grosso no empréstimo de US$ 332 milhões a ser contraído com o Banco Mundial para quitação da dívida com o Bank Of América.

“Em janeiro, o governador Mauro Mendes Ferreira firmou o compromisso público de que iria pagar o 13º salário dos servidores até dezembro. O que desejamos é uma resposta clara em meio a este cenário nebuloso das contas públicas”, afirma o deputado Wilson Santos.

Visando a ter mais esclarecimentos a respeito do desempenho das contas públicas, o plenário da Assembleia Legislativa ainda aprovou um segundo requerimento de autoria do deputado Wilson Santos.

Desta vez, referente à arrecadação do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nos anos de 2014,2018 e 2019 que incide no consumo da energia elétrica.

A concessionária Energisa tem a obrigação de cobrar o ICMS nas faturas de energia elétrica e repassá-lo integralmente ao governo do Estado.

Por isso, o Legislativo cobra detalhes deste repasse mensal dos anos de 2014, 2018 e nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE