Cuiabá, 10 de Dezembro de 2019

POLÍTICA
Terça-feira, 22 de Outubro de 2019, 14h:32

180 DIAS PARA APURAR

Assembleia anuncia os deputados membros da CPI da Energisa; Elizeu é o presidente

Claryssa Amorim
Única News

Fablício Rodrigues/ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), anunciou, nesta terça-feira (22), os deputados que farão parte da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa. A CPI foi aberta no Legislativo para investigar a cobrança abusiva nas contas de energia elétrica.

Os membros da CPI são: Elizeu Nascimento (DC), como presidente, Dilmar Dal Bosco (DEM), Paulo Araújo (PP), Carlos Avallone (PSDB) e Dr. Eugênio (PSB). Os suplentes são: Delegado Claudinei (PSL), Romoaldo Junior (MDB), Xuxu Dal Molin (PSC), Thiago Silva (MDB) e Valmir Moretto (PRB).

O relator da CPI e o calendário de reuniões ainda não foram definidos. Os deputados terão 180 dias para apurar os fatos e cobrar as devidas providências da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo Botelho, a CPI é para adentrar e saber porque as contas “aumentaram de uma hora para outra”, além do descaso da empresa com o consumidor. Ele ressaltou que o interesse é saber o porquê do atendimento “péssimo” às pessoas, em que a empresa lidera o ranking de reclamações no Procon-MT.

“É obrigação desta casa, que é a legítima representante do povo, mediar, quando possível, mas também fiscalizar, investigar e denunciar se necessário, para se chegar a um equilíbrio entre a prestadora do serviço e o consumidor”, afirma Botelho.

Segundo Botelho, pela tarifa convencional, Mato Grosso fica atrás apenas de três estados, que são: do Maranhão – Cemar, empresa responsável -, Minas Gerais – Cemig-D, empresa responsável – e São Paulo – Cerim, empresa responsável. A tarifa média no país é de 0,564. Já em Mato Grosso, fica em 0,627. E Mato Grosso ainda aparece no ranking como a segunda mais cara.

A CPI

Além de investigar a cobrança abusiva, a CPI vai cobrar da empresa, a melhora dos atendimentos. O prazo para encerramento da CPI deve ser de 90 dias, se não houver prorrogação.

O pedido de abertura foi proposto pelo deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), no dia 8 de outubro deste ano, que deve seguir presidindo a Comissão.

Dezenove parlamentares assinaram o requerimento aprovando a abertura.

Uma audiência pública com funcionários e diretores da Energisa, já foi realizado na Assembleia para inicialmente, receber as explicações e tirar as dúvidas dos deputados.  


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE