Cuiabá, 16 de Dezembro de 2019

POLÍTICA
Terça-feira, 15 de Outubro de 2019, 10h:08

COBRANÇA ABUSIVA

Botelho afirma que membros da CPI da Energisa serão indicados até esta quarta, 16

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução/ALMT)

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), afirmou que até esta quarta-feira (16) os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa serão indicados. É realizada, na manhã desta terça-feira (15), uma audiência pública com toda a equipe da concessionária explicando melhor para a população sobre a CPI.

A CPI da Energisa foi aberta para apurar possíveis irregularidades na cobrança da conta pela concessionária de energia elétrica Energisa S/A, em Mato Grosso. Além de investigar a cobrança abusiva, a CPI vai cobrar da empresa a melhora dos atendimentos.

“Queremos entender o porquê do aumento nas contas de uma hora para a outra. Vamos entrar a fundo na investigação, porque tem consumidores reclamando que pagavam R$ 400 de conta e subiu absurdamente para R$ 2 mil, com o mesmo uso de sempre. E ainda queremos saber o porquê do descaso com o consumidor no atendimento, que é péssimo”, ressaltou Botelho.

Ele destacou que a Assembleia não tem poder para determinar uma mudança no atendimento da Energisa como, por exemplo, a abertura de postos de atendimento. Porém, pode cobrar uma melhoria da concessionária.

O prazo para encerramento da CPI deve ser de 90 dias, se não houver prorrogação. O pedido de abertura foi proposto pelo deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), no dia 8 de outubro deste ano, que deve seguir presidindo a Comissão.

Segundo o parlamentar, ele fez a proposta à Assembleia, após receber inúmeras reclamações da população sobre os serviços prestados e cobrança abusiva. Ele destacou que a Energisa lidera o ranking de reclamações no Procon de Mato Grosso.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE