Cuiabá, 26 de Junho de 2019

POLÍTICA
Quarta-feira, 06 de Março de 2019, 09h:05

PARA ECONOMIZAR ENERGIA

Carga horária dos servidores do Estado pode voltar a reduzir, diz secretário

Única News
Da Redação

(Foto: Reprodução/Sesp-MT)

A Secretaria de Planejamento e Gestão de Mato Grosso (Seplag-MT) estuda reduzir novamente a carga horária dos servidores do Estado. De acordo com o secretário Basílio Bezerra Guimarães, um estudo está sendo feito para verificar os horários com maior uso de energia elétrica.

“Pode acontecer do horário de trabalho dos funcionários públicos ser reduzido por cerca de meia hora. Isso se verificarmos possível economia de energia elétrica nos horários de pico. O consumo de energia costuma ser alto depois das 17h30“, relata. A medida visa a redução de custos.

Somente com energia elétrica, a estimativa é para uma economia de 20%. “Fizemos uma parceria com a Energisa para que todos os órgãos do governo tenham lâmpadas frias. Iniciamos o trabalho no Palácio Paiaguás”, pontua o secretário.

Outra iniciativa da Seplag e a reavaliação dos prédios locados pelo governo para órgãos como o MT Saúde e o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT). A previsão é que a economia seja de aproximadamente R$ 3 milhões.

Demissões voluntárias

Cerca de 161 empregados do Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), que é o antigo Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso (Cepromat), aderiram ao Plano de Demissão Voluntária, ou PDV, proposto pelo Estado. A saída dos funcionários, que irá obedecer a um cronograma, motivará a redução média de 35% da folha de pagamento do governo estadual.

“Serão economizados R$ 11 milhões somente com os PDV na MT1 neste ano”, ressalta o secretário da Seplag-MT. Na Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), a estimativa é que 150 funcionários façam as demissões voluntárias.(Com GD)


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE