Cuiabá, 13 de Novembro de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019, 17h:21

APÓS FIM DE MANDATO

Ex-deputados são investigados pelo MPE por não devolverem recursos de carros alugados

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Estado (MPE) abriu uma investigação contra os ex-deputados Mauro Savi (DEM), Gilmar Fabris (PSD) e Wagner Ramos (PSD), por não devolverem aos cofres públicos quase R$ 35 mil, que foram pagos para locação de veículos no fim do mandato, em fevereiro deste ano.

Segundo o inquérito civil aberto pelo promotor de Justiça, Arnaldo Justino da Silva, foram pagos pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para várias empresas de aluguel de carros, o valor de R$ 34.332,42 mil. Eles serão investigados por improbidade administrativa.

No inquérito consta que os ex-parlamentares não devolveram os veículos no fim do mandato, causando dano ao erário. A informação da Mesa Diretora da ALMT para a abertura do processo, dizia que os carros chegaram a ser devolvidos, porém, a Casa teve que pagar as empresas locadoras até a data da devolução.

Os três chegaram a ser notificados pela Assembleia, em 22 de maio, para que pagassem ou até mesmo apresentassem impugnação no prazo de 30 dias. No entanto, não houve retorno de Mauro Savi – valor de R$ 19.053,51 mil -, Gilmar Fabris – R$ 12.884,65 -, e Wagner Ramos – R$ 2.394,26 mil.

“O não ressarcimento dos danos por si só demonstra o dolo genérico de se beneficiar indevidamente da verba pública, o que caracteriza, em tese, ato de improbidade administrativa previsto no art. 10 da Lei 8.429/92, razão pela qual RESOLVO, nos termos da Resolução nº 052/2018-CSMP, instaurar INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO em face de MAURO SAVI, WAGNER RAMOS e GILMAR FABRIS para a completa elucidação dos fatos”, cita trecho do inquérito civil.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE