Cuiabá, 20 de Setembro de 2019

POLÍTICA
Quinta-feira, 03 de Janeiro de 2019, 07h:42

PRIMEIRO ATO

Governador edita decreto e carga de 8 horas dos servidores é retomada

Da Redação

(Foto: Marcos Vergueiro)

Palácio Paiaguás

 

Como o primeiro ato, o governador Mauro Mendes (DEM), assinou o decreto que normatiza o horário de expediente do servidor público do Estado de Mato Grosso. Segundo o ex-governador Pedro Taques (PSDB), o decreto de meio período foi criado para reduzir os gastos. 

 

No entanto, o atual gestor Executivo disse que o Estado vive um grande momento de dificuldade financeira e o trabalho no momento é importante. 

 

Conforme o decreto, mendes estabelece que o servidor público deverá desenvolver sua jornada diária de oito ou seis horas, no período entre às 07h30 e às 19h30, de acordo com definição de cada secretaria.

 

“Por isso, estamos determinando que todos os servidores contratados para jornada de 40 horas voltem a cumprir as oito horas diárias. Os secretários irão fixar em cada órgão os horários, tendo a flexibilidade, principalmente na capital, para não atrapalhar muito o trânsito”, afirmou o governador Mauro Mendes.

 

A antiga carga de seis horas diárias passou a vigorar em setembro de 2016, sob a justificativa de trazer economia nas despesas do Estado, a exemplo dos custos com energia elétrica. Mendes sustenta, no entanto, que levantamentos feitos pela equipe de transmissão mostraram que a carga menor não trouxe economia significativa aos cofres públicos.

 

Para o governador eleito, a reedição da carga de oito horas trará maior produção e eficiência nos serviços prestados pelo Estado ao cidadão, inclusive no que tange ao aumento da arrecadação.


 
"Nesse momento de crise, precisamos mover esforços conjuntos para que os cortes que iremos promover em secretarias e cargos não comprometam a qualidade dos nossos serviços. Teremos que otimizar e a carga horária de oito horas é imprescindível para que isso aconteça", relatou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE