Cuiabá, 21 de Agosto de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 08 de Julho de 2019, 16h:08

ESTADOS FORAM EXCLUÍDOS

Governo de MT deve aguardar possibilidade de adesão à Reforma da Previdência

Euziany Teodoro
Única News

Cristiano Antonucci

O governador Mauro Mendes (DEM) aguarda os próximos dias para dar início a uma solução referente à previdência no Estado. A Reforma da Previdência, proposta pelo Governo Federal, foi aprovada pela Câmara dos Deputados, mas excluiu estados e municípios da nova legislação.

De acordo com o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, ainda há “uma pequena esperança”, tendo em vista que a Reforma da Previdência ainda deve passar pela aprovação do Senado. Governadores de todo o Brasil estão focados no convencimento dos senadores para que estados e municípios sejam incluídos.

“Realmente não esperávamos isso. Esperávamos que a Reforma englobasse todos os estados e municípios e seria muito mais fácil implementar a lei da previdência. Infelizmente isso não está acontecendo”, disse Carvalho, em entrevista à TV Centro América, nesta segunda-feira (08).

Segundo ele, os governadores ainda têm esperança de que seja possível aderir à nova politica previdenciária. “Existe uma esperança ainda pequena, mas caso isso não ocorra, devemos aderir à proposta da previdência feita pelo Congresso Nacional.

“O que a gente espera é que exista essa brecha para adesão à lei. É isso que os estados e municípios esperam. Queremos aderir a uma reforma única no Brasil. Isso seria muito mais justo e democrático pra todos os servidores e pra toda a sociedade brasileira”, afirma.

Caso não haja a possibilidade de adesão, o Governo de Mato Grosso terá que começar um projeto do zero. “Ainda não temos o impacto (de uma lei estadual), mas vai acarretar em novo projeto de lei, discussão ampla com a sociedade, com os deputados. É o que deve acontecer ainda este ano”.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE