Cuiabá, 21 de Fevereiro de 2019

POLÍTICA
Quinta-feira, 07 de Fevereiro de 2019, 14h:21

PRÓ-SERVIDORES

Janaina Riva define qual será seu bloco parlamentar de trabalho

Euziany Teodoro
Da Redação

(Foto: AL-MT)

A deputada estadual Janaína Riva (MDB), vice-presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, já definiu em que bloco parlamentar irá atuar durante a 19ª legislatura da Casa. O bloco “Resistência Democrática” traz consigo os deputados, além de Janaína: Lúdio Cabral (PT), Valdir Barranco (PT), Delegado Claudinei (PSL), João Batista (PROS) e Elizeu Nascimento (DC).

Segundo Janaína, o bloco levantará a bandeira pró-servidor, construindo uma interlocução melhor entre o funcionalismo público e o Governo Estadual. “O bloco não vai ter só a função de indicar membros para as comissões. Teremos reuniões periódicas com os deputados que são servidores e com o Fórum Sindical, e trocar ideias sobre bandeiras do funcionalismo”, explicou.

No bloco, há três deputados que são servidores públicos: o delegado Claudinei, o servidor do Sistema Penitenciário, João Batista, e Elizeu Nascimento, que é militar. “Resolvemos criar um bloco que tem a missão de fazer a defesa dos direitos constitucionais, um foco ao serviço público. Um trabalho entre esses deputados que são servidores também, para que possamos ocupar espaços nas comissões e fazer esse trabalho de forma ampla e democrática”, disse.

Janaína elenca exemplos que serão tratados pelo bloco. “Essa Resistência Democrática é para debater o aumento da alíquota da previdência de 11% pra 14%, por exemplo. O Estado está em momento de crise e tem propostas aí que podemos viabilizar: como não cobrar juros e multa, não ter mora pro servidor; prazo maior para pagamento de impostos como IPVA, IPTU. Ter essa flexibilidade com o funcionalismo neste momento de crise, em que eles não terão o reajuste inflacionário, que seria de pelo menos 4%. Eles precisam ter esse resguardo do Estado e vamos tentar isso”.

Segundo ela, os membros do bloco também já têm vagas em algumas comissões parlamentares garantidas. “Os três que são servidores vão fazer parte da comissão de Segurança e da Comissão de Direitos Humanos, como titulares. Conseguimos um bloco que só conseguiria indicar um, mas conseguimos colocar mais”, comemora.

Segundo ela, isso foi possível porque o Executivo abriu mão de algumas vagas. “O Governo abriu mão de suas vagas nessas comissões para contemplar esses deputados. Nosso anseio era realmente levantar essa bandeira, não apenas fazer oposição por oposição. É um bloco que, em matéria de direitos públicos, seremos pró-servidor”, finalizou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE