Cuiabá, 15 de Dezembro de 2019

POLÍTICA
Terça-feira, 12 de Novembro de 2019, 09h:55

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Pinheiro dá início à captação de recursos para Hospital da Família; ‘não vou deixar abandonado"

Claryssa Amorim
Única News

(Roger Perisson)

A sete dias da inauguração do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) para funcionamento em 100%, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) recebeu a equipe do site Única News na unidade e adiantou que já está trabalhando em outro projeto para a saúde da Capital: a nova finalidade do antigo Pronto Socorro de Cuiabá.

Ele garante que, se tiver que entregar sua gestão no próximo ano, vai ser com o projeto da nova unidade já em andamento, pois não deseja a um novo gestor o que aconteceu com ele: uma obra abandonada.

“Quando tomei posse como prefeito, vim visitar essa obra [HMC] e estava só o esqueleto, tudo abandonado, não tinha nenhum projeto encaminhado. Eu tinha dois caminhos a seguir. Um: desistir desse novo hospital e colocar um problema judicial para me livrar dessa bomba, ou dois: entraria de cara e resolveria. Eu escolhi o caminho mais difícil, mas não me arrependo e olho hoje com orgulho para isso”, disse Pinheiro.

Ele afirma que vai deixar a reforma já licitada, com os recursos previstos encaminhados e todo o planejamento do interior do hospital em maquete e escrito. O objetivo é que seja implantado, no local, o Hospital da Família (HFam).

Segundo o prefeito, a entrega do Hospital da Família deve levar algo em torno de um ano e meio e garante: “talvez um próximo prefeito deva entregar. O futuro a Deus pertence, mas vou deixar tudo arrumado e licitado”.

“Vou pegar agora o HFam e, se eu for prefeito (de novo), também vou entregar por etapas. Primeiro o Hospital Infantil, depois a ala de idosos, depois cuidados paliativos, depois rede-cegonha e depois saúde mental. isso é gestão, planejamento, estrutura. Tudo o que antes não tinha.”

Pinheiro já adianta que a reforma do prédio vai custar em torno de R$ 35 milhões e já começou a correr atrás dos recursos necessários. Para começar a reforma, já a partir de fevereiro de 2020, o deputado federal Emanuelzinho (MDB) e o senador Jayme Campos (DEM) destinarão, juntos, o total de R$ 18 milhões.

Os R$ 17 milhões que restam serão destinados pelos demais membros da bancada federal de Mato Grosso em Brasília. Cada um deverá destinar R$ 1,7 milhão até 2021, alcançando o valor total de R$ 35 milhões.

O Hospital da Família contará com as seguintes especialidades: maternidade, tratamento de idosos em fase terminal, cuidados paliativos e saúde mental. Além do projeto “Rede Cegonha”, em que abrigará mães do interior do Estado com filhos em tratamento na unidade.

“O prédio atual tem 40 anos. Ele precisa dessa reforma, porque já está saturado, mas não se pode desfazer dele. Tem que ter uma destinação. Ele é um ciclo de um período da saúde pública da Capital. Ele já ajudou muito a população cuiabana, mas a cidade cresce e não somos mais a mesma de 40 anos atrás”, finalizou o gestor.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE