Cuiabá, 27 de Junho de 2019

POLÍTICA
Quarta-feira, 01 de Maio de 2019, 08h:30

PELA INTERNET

PL determina que hospitais divulguem fotografias de pessoas internadas sem identificação

Única News
Com assessoria

FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Hospitais públicos e particulares poderão ser obrigados a divulgar em seus sites oficiais, fotografias dos pacientes que derem entrada nas unidades das redes públicas e privadas em estado inconsciente, sem documentos e desacompanhados. É o que determina o Projeto de Lei (PL: 420/19), do deputado estadual Paulo Araújo (PP), apresentado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na sessão matutina da última semana. 

“A integração entre os diversos sistemas de informação possibilita a comunicação entre os dados existentes acerca de determinada pessoa em vários órgãos públicos. Entretanto, ainda existem falhas, e o objetivo desse Projeto é reduzir uma delas. Hoje, os hospitais são omissos na identificação daqueles que, por algum motivo, não a conseguem fazer. Além disso, com a divulgação dessas pessoas nos sites, a busca por pessoas desaparecidas ganharia novo fôlego”, argumenta Paulo Araújo.

Segundo o texto, juntamente com a fotografia do paciente, deverá conter informações adicionais que o hospital possuir como: idade aparente, altura, cor, peso, tatuagens e/ou cicatrizes se tiver, bem como o endereço do hospital em que estiver internado. Além disso, no cadastro deverá conter telefone e e-mail da instituição de saúde, para que familiares do paciente internado possam fazer o reconhecimento.

Dados

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT), quase 300 pessoas estão desaparecidas no estado. Nos primeiros dois meses deste ano foram registrados 297 desparecimentos no estado. Em 2018, neste mesmo período, foram 350 casos e em 2017 foram 321 casos.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE