Cuiabá, 11 de Dezembro de 2019

POLÍTICA
Terça-feira, 04 de Junho de 2019, 10h:44

APÓS RACHA EM 2018

PV negocia migrar para base do governo e assumir MT PAR

Fernanda Nazário
Única News

Alair Ribeiro/MidiaNews

Após rachar com Mauro Mendes (DEM) nas convenções que antecederam as eleições de 2018, o Partido Verde (PV) está em tratativa com o democrata para fazerem as pazes e integrar a base do governo estadual.

Circula também nos bastidores da política que, ao unir a Mendes, o partido deve ficar com a Empresa Mato-grossense Especializada em Parceria Público Privada (MT PAR).

Conforme o deputado estadual Faissal Calil (PV), em entrevista à Rádio Capital, nesta terça-feira (4), o partido tem uma boa relação com Mendes desde que ele era prefeito de Cuiabá, entre 2013 e 2016.

No entanto, essa história mudou no ano passado, quando a sigla resolveu não apoiar o então gestor municipal para o cargo de governador e se aliançou com o também candidato ao governo à época, o senador Wellington Fagundes (PR). Segundo Calil, isso ocorreu devido alguns atritos com relação as eleições proporcionais.

“O que tínhamos em planejamento para eleição passada foi proteger os [candidatos a] deputados estaduais. Queríamos fazer três cadeiras na Assembleia e no dia da convenção só iriamos caminhar juntos com Mauro Mendes se a gente participasse de um chapão pesado que tinha Dem, MDB. Todos aqueles que estavam planejando ser candidato há mais de um ano, toda estratégia iria água a baixo. Então, isso o que pegou durante a convenção”, explica Faissal.

Passado um ano desse atrito, o PV reuniu toda equipe da executiva estadual e foi decidido por unanimidade pela diretorial que a sigla deve fazer sim parte da base do governador. “Quero deixar claro que todos no PV têm uma identificação grande com o governador”, conta Faissal, recordando que no período em que Mendes era prefeito, o presidente do Diretório Estadual da legenda, José Roberto Stopa, foi secretário de serviços urbanos de Mauro.

Sobre os rumores de que o partido deve assumir a MT PAR, Faissal afirma que este assunto foi apenas ventilado, não tem nada oficial, ainda. “Não tem uma indicação, não é cadeira do PV. Foi apenas uma ventilação”,diz.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE