Cuiabá, 17 de Junho de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 10 de Junho de 2019, 11h:17

"ISSO É CLARO NO COLEGIADO"

"Quem negociava, ia", diz Riva sobre vagas no TCE; Sérgio Ricardo teria pago R$ 11 mi

Euziany Teodoro
Única News

Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

O ex-deputado estadual José Riva, em depoimento à Justiça Federal em março deste ano, voltou a afirmar que a vaga de Sérgio Ricardo como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) foi comprada, ao custo de R$ 11 milhões, em esquema que se desenrolava desde 2008. Sérgio assumiu a vaga de Alencar Soares (a quem foi paga a quantia milionária) em 2012.

De acordo com Riva, que detalha a compra da vaga à procuradora da República Vanessa Cristina Marconi Zago Ribeiro Scarmagnani, “quem providenciava (dinheiro) e negociava, ia”.

O interesse de Sérgio Ricardo em assumir uma cadeira no TCE era tratado desde 2008, quando ele se elegeu presidente da Mesa Diretora da Assembleia. “Isso é claro no colegiado. Falava assim: ‘você tem dinheiro? Não. Lá vai precisar tanto. Você tem? Não. Então vou providenciar’. Quem providenciava ia. Quem providencia e negociava, ia”, explica.

De acordo com o depoimento, até mesmo o suplente de Sérgio Ricardo na Mesa Diretora, na época o então deputado Dilceu Dal Bosco, foi escolhido com base na negociação da vaga.

“Essa conversa houve, na ocasião da eleição da Mesa Diretora. Foi definido o suplente do Sérgio na Mesa, exatamente com essa proposta: ‘olha, eu vou sair. Quero ir pro TCE. Quero o compromisso de vocês’. Na primeira eleição dele lá (da Mesa), ele já fala que quer ir pro TCE e o vice dele já foi escolhido com essa proposta”. Na ocasião, Riva foi eleito primeiro-secretário da Assembleia.

Riva ainda garante que a compra de cadeiras no TCE é prática comum. “Isso não foi só com o Sérgio, em outros momentos eu creio que funcionou assim. Mas especialmente nesta do Sérgio, foi assim”.

A vaga de Alencar Soares custou R$ 11 milhões, sendo que Sérgio Ricardo pagou R$ 6 milhões e Riva, já eleito presidente da Mesa em 2010, ficou responsável por repassar os outros R$ 5 milhões, via superfaturamentos na Assembleia Legislativa.

Riva também envolve, segundo informações do jornal A Gazeta (que divulgou parte do depoimento em áudio, nesta segunda-feira, 10), o ex-secretário da Fazenda do Estado, Eder Morais, e o ex-governador de Mato Grosso, Blairo Maggi.

Segundo o depoimento, Alencar Soares teria recebido R$ 4 milhões via Eder Moraes e Júnior Mendonça - o primeiro delator da Operação Ararath - após o então governador da época Blairo Maggi ter interferido na negociação para tentar emplacar Eder na vaga. Após não conseguir tal negociação, Sérgio Ricardo e Alencar fecham a compra da vaga.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE