Cuiabá, 24 de Agosto de 2019

POLÍTICA
Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019, 09h:08

FORNECEDORES DA SESP

Secretário diz que dívida chega a R$ 216 mi e que está "focado" em equílibrar as contas

Da Redação

(Foto: Alair Ribeiro)

A dívida da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT) com fornecedores está na casa dos R$ 216 milhões e parte desse valor é referente a gastos com empresas que locam veículos para a segurança de Mato Grosso. A informação foi do secretário da pasta, Alexandre Bustamante, em entrevista à Centro América FM, na sexta-feira (18).

O secretário disse que, mesmo que esteja nos primeiros dias de gestão, tem 'focado' em conversar com os fornecedores para regularizar as contas da pasta.

Dentro deste montante de R$ 216 milhões de restos a pagar, está valores entre processados ou não, em que R$ 13,5 milhões são apenas com as empresas responsáveis em locar viaturas. 

“A Secretaria tem R$ 116 milhões de restos a pagar processados e R$ 100 milhões não processados. Esses valores correspondem apenas à Sesp, sem incluir a Sejudh, que também está sob minha responsabilidade”, explicou o gestor da pasta.

Bustamante ainda esclareceu que as dívidas da Sesp são de gastos com comida para detentos, policiais, locação de viaturas e combustível.

Recentemente, 50% dos veículos da frota de viaturas foram retiradas da rua pela empresa locadora por falta de pagamento do governo do Estado. Atualmente, a polícia tem usado carros, de modelo Gol nas ruas.

E ressaltou que após o decreto de calamidade financeira do governador, Mauro Mendes (DEM), na última quinta-feira (17), alguns gastos terão que ser contidos urgentemente e que a menor dívida do Executivo, atualmente, é com os servidores público.

“Todos podem observar o esforço e desgaste do governador, no sentido de diminuir despesas para tentar aumentar a arrecadação. [...] Quem o Estado está menos devendo hoje é o servidor público, que tem quase dois meses de salários atrasados. O restante tem tudo mais de dois meses"

Argumentado sobre concursos públicos, o secretário disse que essa possibilidade está descartada, por enquanto, pois para ele, complicaria mais as dívidas do Estado, já que com mais servidores público, maior a folha do governo.

“Não adianta fazer concurso para o servidor receber atrasado. Então, o governador está focado em equilibrar as contas do Estado, colocar em dia a folha de pagamento e parte dos fornecedores, quiçá todos, o que seria ideal”, esclareceu.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Observador  22-01-2019 12:22:55
Põe seu sub-secretário fazer isto......se dedica a salvar vidas e famílias vitimas de cada vez mais bandidos soltos....matando, assaltando, roubando, estuprando....Não aguentamos mais!!!

Responder

0
0

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE