Cuiabá, 23 de Abril de 2019

POLÍTICA
Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2019, 08h:39

DESPEDIDA

Ulisses Rabaneda encerra biênio como magistrado do TRE-MT

Da Redação
(Com Assessoria)

TRE/MT

Terminou nesta quinta-feira (07.02) o biênio do advogado Ulisses Rabaneda como juiz membro do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso. Ele foi homenageado pelos outros membros do Pleno e também advogados que compareceram à cerimônia. Rabaneda participou de 199 sessões plenárias, atuou em 471 processos, expediu 118 decisões monocráticas, sendo o relator de 216 processos que foram levados ao Pleno.

“Rabaneda atuou em casos importantes na consolidação e revisão da jurisprudência do TRE-MT. Seu trabalho certamente servirá de base para juízes e advogados de todo o Brasil sobre o direito eleitoral. A cadeira de magistrado é importantíssima para os advogados, necessita muita dedicação e empenho, qualidades que foram abundantes no trabalho do colega”, destacou o juiz membro Ricardo Almeida, que representou o tribunal como um todo em sua fala.

Além de atuar na esfera judicial, Rabaneda ocupou o cargo de vice-presidente da Escola Judiciária Eleitoral. “A passagem do juiz Rabaneda pela EJE não foi simbólica, foi marcante. Ele contribuiu muito com a produção de conteúdo, ministrou palestras, deu aula em cursos, foi mediador em painéis, escreveu artigos, compôs o Conselho da EJE. Temos muito que agradecer por todo o trabalho feito em tão curto período de tempo, sendo que o mesmo inclusive já lhe rendeu o título de membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político, a Abradep”, reforçou Almeida.

Representando o Ministério Público Eleitoral, o promotor Raul Batista Leite, comentou sobre a forma de atuação do homenageado. “Em pouco tempo que convivemos é evidente seu trabalho sempre célere, sua capacidade de assumir várias funções, e a cortesia no trato com os demais profissionais do direito. Aqui tratamos das bases da nação, da vontade popular, visamos garantir a lisura do jogo democrático. Sempre observei Rabaneda com uma atuação técnica e alta profundidade na análise do processos”, pontuou.

Todos os magistrados teceram elogios ao colega, porém a liberdade poética e literária do juiz Antônio Veloso Peleja contagiou a homenagem. Em seu pronunciamento, o magistrado retornou mais de três mil anos no tempo e trouxe a tona Homero e sua bela Odisseia. Na história, Ulisses, atravessando todos os desafios do Mediterrâneo para retornar para seu lar, decide colocar cera nos ouvidos de seus marinheiros para que naveguem sem ouvir o canto das sereias e assim conseguirem atravessar o mar sem serem iludidos e terminarem com o barco nas pedras. Porém, Ulisses, pede que os marinheiros o amarrem no lastro e recusa-se a colocar cera nos ouvidos, afinal, ele precisava enfrentar e vencer as provocações das sereias.

Diferente de outros heróis gregos, Ulisses não é um deus, ou um semideus e nem uma figura mitológica, ele é apenas um ser humano que luta contra diversas forças pra conseguir voltar pra casa. “Este é o espírito que vi em nosso colega advogado. Com muita humildade e sabedoria, sempre esteve aberto a ouvir, a rever posicionamentos, a enfrentar todos os desafios. Sábio e forte é aquele que reconhece suas fraquezas. Espero vê-lo muito em breve nesta corte”.

Homenageado

Agradecendo a todos que participaram da homenagem, juízes e advogados, Ulisses Rabaneda comentou as principais conclusões que chegou ao final de seu biênio. “Não me decepcionei com nada! Passar por esta corte e ter a oportunidade de julgar certamente me marcará por toda a vida. Aqui percebi o quanto é difícil ser juiz. Sempre soube da dificuldade de ser advogado, de estar na frente de um cliente, ouvir seus problemas e buscar os melhores meios de resolvê-los. Agora, neste tempo de juiz, entendi como é difícil decidir sobre a vida das pessoas, a responsabilidade que isso envolve”.

Ele iniciou sua fala agradecendo a Deus por iluminar o seu caminho, aos familiares que perdoaram suas constantes ausências, e ao Tribunal de Justiça e OAB por terem confiado em seu trabalho. “Aprendi muito no TRE. Porém tenho certeza que a maior riqueza que levo são as pessoas que conheci. Nesta casa sempre é priorizada a harmonia, e isso é fundamental. Já houveram debates acalorados sobre inúmeros processos, mas sempre com o máximo respeito. Espero ter trabalhado a altura dos esforços necessários que esta corte merece”, concluiu Rabaneda.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE