Cuiabá, 18 de Julho de 2019

SOCIAL
Sexta-feira, 12 de Abril de 2019, 08h:00

APROVADÍSSIMO! APLAUSOS...

Cuiabano garante aprovação em sete universidades americanas para Ciências da Computação

Por Tamires José/Única News

CONGRESSO FOTO 02.JPG

O diretor geral do Colégio Maxi, professor Leão, a diretora de Orientação Educacional, Jaqueline de Vecchi Seviero, Guilherme Toyota Carlos de Oliveira posa todo orgulhoso com pai o médico Rubens Carlos de Oliveira Junior ( Leia-se Unimed – Cuiabá/MT).

 

Cursar uma faculdade fora do Brasil é uma ideia que vem crescendo entre os jovens e Guilherme Toyota Carlos de Oliveira realizou este sonho com muito sucesso. Ele garantiu a aprovação em sete universidades dos Estados Unidos, dentre elas a Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), fundada em 1919, está entre as melhores universidades do mundo e é referência em Ciências da Computação - curso em que optou por fazer.

Aluno do Colégio Maxi desde o 7º ano do Ensino Fundamental, Guilherme já demonstrava interesse em cursar uma faculdade fora do país. Foi em busca de informações e na 2ª série do Ensino Médio tomou a decisão que fez com que mudasse toda sua rotina de estudos.

O médico Rubens Carlos de Oliveira Junior, pai de Guilherme, conta que desde o início a família o apoiou e conta que o jovem sempre foi muito dedicado e focado. Ele acredita que isto foi fundamental para o sucesso nas aprovações. "Eu e a mãe dele, a Carla, demos o apoio necessário desde o primeiro momento. Filhos vem em nossas vidas para que possamos conduzi-los e agora é a vez de ele conduzir sua própria vida. É uma felicidade enorme para gente, como pais, ver que o objetivo dele foi alcançado", relata.

A possibilidade de realizar o High School em Cuiabá, próximo da família, também é outro fator que auxiliou o aluno a garantir seus objetivos. "Foi muito importante pela garantia da sustentabilidade familiar, eu e Carla, que é uma mãe maravilhosa, pudemos dar suporte para ele alcançar sua meta", afirma o pai.

Para Guilherme, sem o programa escolar a ideia de se preparar para estudar fora teria sido considerada tarde demais. "Foi o High School que ajudou a me organizar e ver que eu poderia fazer isso desde o início do Ensino Médio", comenta.

O adolescente conta um pouco sobre como foi a preparação e buscar informações é fundamental porque o processo seletivo é completamente diferente do brasileiro. "São provas diferentes, temos que aprender a fazê-las de maneira diferentes, são muito mais rápidas, seletivas. Foi preciso mudar totalmente o estudo, o jeito de fazer as provas e buscar muitas informações", relatou.

Guilherme explicou também que cada universidade tem suas particularidades na seletiva, mas em geral são necessárias a realização de duas provas, uma no modelo do Enem no Brasil e outro referente à proficiência, redações sobre sua personalidade, o que faz fora da faculdade.

Já sobre os planos para o futuro, o jovem mais uma vez demonstra sua determinação e diz que a ideia é se manter nos Estados Unidos, conseguir visto de trabalho e mesmo sabendo da concorrência e competitividade afirma: "acredito que se eu me dedicar, eu consigo". Sobre a área de atuação, demonstra interesse pela vida acadêmica, mas também em atuar no desenvolvimento de softwares e aplicativos.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE