Cuiabá, 10 de Dezembro de 2019

VOLTA AO MUNDO
Sexta-feira, 27 de Setembro de 2019, 11h:20

NOS EUA

Repórter de TV reage a assédio durante transmissão ao vivo e faz denúncia na polícia

Um homem desconhecido tentou beijar a jornalista Sara Rivet enquanto ela fazia uma transmissão na rua.

Por G1

(Foto: Reprodução)

Sara Rivet, uma repórter de TV dos Estados Unidos, foi assediada ao vivo –um homem desconhecido tentou beijá-la na bochecha enquanto ela fazia uma transmissão na rua. Ela foi ao estúdio para dizer que a situação não é engraçada e não é aceitável.

O caso aconteceu na sexta (20), na cidade de Louisville , no estado do Kentucky. Três homens que passam pelo local onde ela estava causaram tumulto ao seu redor.

Durante a entrada ao vivo, ela se distrai levemente, mas segue na transmissão depois que eles passaram em volta dela. No entanto, um dos homens decide, então, dar um beijo na bochecha dela, que se retrai e dá uma risada tensa, mas prossegue: “Ok, isso não foi apropriado. Vamos voltar à história”.

Rivest, que trabalha para a emissora WAVE 3, uma retransmissora da NBC, relatou o incidente para a polícia, e o homem foi identificado como Eric Goodman, de acordo com o departamento de polícia de Louisville.

Ele foi acusado de assédio com contato físico, uma contravenção, e será obrigado a aparecer em uma vara da Justiça.

Rivest foi a um estúdio de TV e afirmou que não sabia como reagir. “Eu estava chocada, mas minha risada tensa não é sinônimo da aprovação dessas ações”, ela disse.

“Jornalistas na rua, especialmente mulheres, tentando trabalhar, passam por assédio como esse o tempo todo, e não é ok. Se você quiser ser um idiota atrás de mim durante uma transmissão ao vivo, é uma escolha sua, mas se você colocar as suas mãos em mim ou em qualquer pessoa sem a aprovação dela, é errado”, ela completou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE