Cuiabá, 10 de Abril de 2020

ARTIGOS/UNICANEWS
Terça-feira, 24 de Março de 2020, 10h:09

EDISANTOS AMORIM

Recessão Econômica é dada como certa no Brasil devido à pandemia do Coronavírus

Única News

2020: a expectativa era de expansão na economia Brasileira que projetava dobrar de tamanho. O PIB sinalizava uma projeção de crescimento acima de 2% em relação ao fechamento do PIB de 2019 que foi de alta de 1.1%. A continuidade das reformas estruturais seria essencial na manutenção do crescimento. O que está acontecendo na economia brasileira hoje é uma crise de demanda global atípica que não se esperava, vindo de uma forte crise de saúde mundial derivando em uma forte crise economia mundial.

A crise nasce em um país tido como uma das maiores potências mundiais, ou seja, a China é o maior exportador de matéria prima mundial, incluindo as importações Brasileiras e ao mesmo tempo a China se torna o maior importador de commodities mundial incluindo as exportações Brasileiras. Neste cenário o mundo passa por uma crise de demanda em escala global.

A recessão é dada como certa no Brasil devido a Pandemia do Coronavírus, a projeção revisada para o crescimento da economia pós- crise em 2020 é negativo podendo oscilar entre (-2% e -5%), o país que já sonhava com a recuperação econômica em 2020 e a recuperação de pleno emprego em 2021 iniciadas em 2020 já é dada como incerta. Isso vai custar ao Brasil uma nova escala de crescimento que devera durar em média entre cinco a dez anos.

A última crise mundial que levou o Brasil e uma recessão na economia ocorreu em 2008, devido a uma crise financeira iniciada nos Estados Unidos que começaram a emprestar dinheiro a muita gente que não tinha como pagar, o reflexo desta crise durou cerca de 10 anos para a retomada dos níveis de atividade econômica no Brasil e que nos dias de hoje ainda é sentida seus reflexos, principalmente na desestabilização das indústrias que contribuiu para o nível de desemprego no Brasil.

As reservas brasileiras estão preservadas e poderá ser utilizada na economia brasileira para estabilizar o câmbio e a continuidade da destinação para ampliar o alinhamento no mercado de expansão através do credito. As reservas internacionais Brasileiras fecharam o ano de 2019 com US$ 356,9 bilhões de dólares, o dinheiro que o banco central do Brasil mantem guardado para proteger o Brasil de turbulências internacionais. A maior parte está aplicada em títulos do tesouro americano, que são mais fáceis de vender e mais seguro.

No estado de Mato Grosso, o crescimento econômico através do PIB projeta crescimento nulo (zero) em 2020, isso se deve a continuidade das medidas de austeridade do governo estadual e dos gestores municipais. Neste cenário de crise global a união entre a federação, estado e municípios serão de vital importância para minimizar os impactos na economia, principalmente devido à queda acentuada nos principais tributos de arrecadação. Os prejuízos em todo país serão imensuráveis e que poderá ser minorada de acordo com as projeções de redução diária do quadro comparativo e quantitativo de pessoas infectadas e tratadas o que será resultante do tempo de permanência das medidas preventivas de segurança no Brasil.

O déficit primário do governo federal em 2020 que se estima em 124 bilhões de reais deverá ultrapassar a 200 bilhões. Não havendo crise politica no Brasil haverá caminhos de recompensa para todos, os poderes constituídos do Brasil; Câmara Federal, Senado Federal, STF, STJ, TSE, Ministério Publico entre outros poderes, serão de fundamental importância para o enfretamento desta crise e da retomada do crescimento pós-crise.

O Brasil deverá dar continuidade na redução na taxa Selic para preservar o mercado interno e impulsionar a economia. Medidas importantes foram anunciadas pelo Governo Federal para a manutenção das atividades econômicas em todo o país, e principalmente para o nível de renda das famílias evitando um colapso na economia domestica. O momento agora não é de critica e sim de união para com a nação Brasileira, façamos um pacto em prol do Brasil e vamos enfrentar e vencer esta crise juntos. “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

*Edisantos Amorim é Economista, Especialista em Planejamento, Gestão, Inovação e Finanças.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE