Cuiabá, 30 de Maio de 2024

CIDADES Sexta-feira, 19 de Maio de 2017, 10:23 - A | A

19 de Maio de 2017, 10h:23 - A | A

CIDADES / RECÉM PASSADO NO CONCURSO

Após seis anos, Estado é condenado a pagar R$100 mil por agente morto, refém em motim

Por Suelen Alencar/ Única News



(Foto: Internet)

 

O Estado de Mato Grosso deve  pagar o valor de R$ 100 mil, a título de danos morais, a família do agente penitenciário Wesley da Silva Santos que  morreu durante um montin na Penitênciaria Central deo Estado.  A decisão publicada no Diário de Justiça desta sexta-feira (19) é do magistrado Agamenon Alcântara Moreno Júnior, da Terceira Vara Especializada da Fazenda Pública.

 

O valor é referente a condenação de uma ação de reparação na Justiça interposta pela mãe da vítima contra o Estado de Mato Grosso. Na solicitação dona Dirce pedia a condenação do Estado a pagar uma pensão vitalícia e indenização.

 

Wesley foi morto em junho de 2011, enquanto estava em serviço na Penitenciária Central do Estado  durante uma tentativa de rebelião dos detentos e reação da Policia Militar. Acontece que Wesley tinha recem tomado posse do cargo de agente penitenciário, data em 03 de junho do mesmo ano. A mãe da vítima ainda relata que Wesley iniciou o exercício na Central  no dia 07 de junho 2011, até a data de sua morte. 

 

Na época, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o agente foi ferido por um golpe de arma artesanal (chuço). O defensor público, Clodoaldo Queiroz  disse a imprensa que naquele ano os agentes penitenciários que assumiram os cargo após o concurso, como foi o caso de Wesley, não teriam tido o preparo adequado para o exercício da função. Isso porque a vítima foi empossada no cargo no dia 3 de junho e iniciou os trabalhos na penitenciária no dia 7 do mesmo mês.

 

Conforme publicação, o pedido da pensão vitalícia, que seria de um slário mínimo não foi aceito pelo juizo. 

 

Há seis anos 

O motim ocorreu quando os presos dos Raios 2, 3 e 4 deixavam as celas para serem atendidos pela Defensoria Pública e pelo setor clínico da unidade prisional. Um grupo de 25 reeducandos iniciaram o motim no corredor central da unidade e fez refém três agentes prisionais, entre eles, Wesley Santos, que morreu na ocasião. No confronto com policiais que faziam a guarda do local e tentaram conter o motim, um detento também acabou morto. 

 

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia