Cuiabá, 27 de Maio de 2024

CIDADES Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 11:02 - A | A

14 de Maio de 2024, 11h:02 - A | A

CIDADES / QUADRO DE INFECÇÃO

Bebê nasce morta após mãe de gêmeas ser impedida de ouvir o coração da criança

No dia seguinte, após dar entrada no hospital, a jovem que estava grávida de 32 semanas foi encaminhada para realizar um ultrassom e descobriu que uma das bebês havia morrido

Christinny dos Santos
Única News



A bebê Luana Cristal nasceu morta, no domingo (12), após a mãe, que estava grávida de gêmeas, ser impedida de realizar um exame para ouvir o coração da criança.

A gestante, menor de idade, foi no sábado ao Hospital Regional de Sorriso vomitando e com contrações. Uma das profissionais faria o exame para ver como estava o bebê, mas foi impedida pela médica plantonista, por supostamente não estar no tempo indicado de gestação. No dia seguinte, a jovem que estava grávida de 32 semanas foi encaminhada para realizar um ultrassom e descobriu que uma das bebês havia morrido.

Em entrevista à imprensa local, a mãe da gestante contou que, cerca de duas semanas antes de dar à luz, a jovem teve um quadro de infecção. Durante o tratamento medicamentoso, a grávida voltou a passar mal e procurou o Hospital, ocasião em que os profissionais receitaram novos remédios e a mandaram para casa.

No sábado à tarde, a gestante começou a ter contrações e, em meio às dores, começou a vomitar. A mãe levou a jovem para o Hospital Regional de Sorriso.

Durante a triagem, a enfermeira que atendeu a família explicou que um exame para ouvir o coração normalmente só é realizado após 37 semanas, mas devido à condição da gestante, ela pediria que o exame fosse realizado.

A avó das crianças contou que ouviu primeiro o coração da criança que nasceu viva e, ao ouvir os batimentos da pequena Luana, percebeu que havia uma diferença. “Da primeira [bebê] estava tudo bem, eu ouvi os batimentos, estava tudo normal. Mas da segunda eu reparei que não estava ‘tão’ normal e até comentei com ela (enfermeira), mas aí a médica entrou”, contou a mulher.

Conforme relato da avó das crianças, a médica questionou o porquê de o exame estar sendo realizado e impediu que fosse finalizado. Durante uma breve conversa, a mãe da gestante explicou que ela estava com dores de contração e passando mal, então, a médica teria dito que receitaria um remédio e a jovem poderia voltar para casa.

Após uma conversa, a gestante foi atendida por uma nova médica, que acalmou a avó das crianças e agendou um ultrassom para tarde do dia seguinte. 

O exame foi realizado no domingo (12), dia em que foi celebrado o Dia das Mães. Enquanto o exame era realizado, os médicos perceberam que uma das bebês não tinha batimentos cardíacos. A jovem deu a luz no mesmo dia e a pequena Luana nasceu morta.

Outro lado

O Hospital Regional de Sorriso é de responsabilidade do Estado de Mato Grosso. Procurada pelo Única News, a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) informou que apura o caso.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia