Cuiabá, 20 de Junho de 2024

CIDADES Sábado, 18 de Maio de 2024, 08:20 - A | A

18 de Maio de 2024, 08h:20 - A | A

CIDADES / CASO VICENTE CAMARGO

Dona de berçário confessa que bebê de 5 meses caiu de seu colo e bateu a cabeça em banheira

Karine Campos
Única News



O delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Várzea Grande, Marlon Luz, revelou que o bebê Vicente Camargo, de 5 meses, morreu após cair do colo da proprietária do berçário Espaço Criança Feliz, e bater a cabeça na borda de uma banheira.

A morte de Vicente completou um mês nesta sexta-feira (17) e, até o momento, as duas proprietárias e funcionárias do berçário continuam livres, assim como o estabelecimento continua funcionado.

Em entrevista ao podcast do site RepórterMT, o delegado afirmou que a dona do local confessou que o menino caiu e será investigada por homicídio culposo e também por falsidade ideológica, pois não contou o que realmente aconteceu até que fosse indiciada.

“Durante as investigações, uma das proprietárias acabou confessando realmente, que foi ela que praticou aquela lesão no Vicente, mesmo sem ter tido a intenção de provocar, portanto o inquérito se conclui pelo homicídio culposo, atribuindo essa responsabilização, a duas das pessoas, duas proprietárias da creche, sendo elas as responsáveis pela morte do Vicente, na condição do homicídio culposo”, explicou o delegado.

Antes mesmo da confissão, laudo da Politec já havia comprovado que o menino se feriu no ambiente da creche, obrigando a mulher a finalmente confessar.

“A gente conseguiu constatar a materialidade primeiro do que aconteceu por meio do laudo né, o laudo trouxe onde foi a lesão praticada no Vicente, a gravidade da lesão, o local do corpo da lesão. A gente precisava trazer para o inquérito como aquela lesão foi provocada e quem provocou.”

HOMICÍDIO CULPOSO

As duas proprietárias e uma funcionária do Berçário Espaço Criança Feliz foram indiciadas pela morte de Vicente. Segundo o laudo pericial da Politec, Vicente morreu por traumatismo craniano por instrumento contundente.

As três mulheres responderão, inicialmente, pelos crimes de homicídio culposo e falsidade ideológica. No entanto, ainda continuam em liberdade e a creche particular está funcionando normalmente.

Em conversa com a imprensa na sexta-feira (10), o delegado Marlon Luz disse ao Única News que, após a emissão do laudo da perícia, as proprietárias do berçário se sentiram acuadas e confessaram que Vicente morreu após bater a cabeça, em um incidente dentro do estabelecimento.

“Em novo depoimento, elas saíram chorando, porque o laudo trouxe algumas informações que não teve como elas esconderem mais o que aconteceu. O bebê morreu dentro da creche e a responsável pela morte foi, a princípio, uma das pessoas [envolvidas]”, disse.

Conforme o delegado, mesmo sem a intenção de matar a criança, as mulheres serão indiciadas pelos crimes, podendo ainda indiciar outras pessoas pelo incidente.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia