Cuiabá, 24 de Julho de 2024

CIDADES Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 20:00 - A | A

16 de Maio de 2024, 20h:00 - A | A

CIDADES / DOENÇA INCURÁVEL

Resgatada de circo, elefanta que vivia no santuário de Chapada morre por eutanásia

Animal chegou ao santuário em 2019 após piora de um quadro de osteomielite, patologia adquirida durante os quase 40 anos que viveu nos picadeiros.

Ari Miranda
Única News



Morreu por eutanásia na noite desta quarta-feira (15), a elefanta Lady, que desde 2019 vivia no Santuário de Elefantes Brasil (SEB), em Chapada dos Guimarães (65 Km de Cuiabá). O comunicado foi feito na manhã desta quinta-feira (16) pelo próprio Santuário, através das redes sociais.

Segundo a direção do santuário, a decisão foi tomada após o animal, que tinha idade estimada em 52 anos, se deitar e não demonstrar mais ânimo para levantar.

“Antes de se deitar, parte de sua rotina era receber analgésicos três vezes ao dia. Uma pessoa da equipe estava com ela às 22h de segunda-feira e ela estava parada ao lado da grande e linda árvore no primeiro recinto do habitat para machos asiáticos”, disseram em nota.

“Ela [Lady] costumava encostar a parte traseira no tronco da árvore e dormir. Às 6h, ela foi encontrada deitada no segundo recinto do mesmo habitat. Verificamos para ter certeza de que ela estava viva, mas ela estava parada e quieta e não deu qualquer indicação de que queria fazer outra coisa senão ficar onde estava”, detalhou a Associação.

Lady chegou ao Santuário de Elefantes em 2019, vinda de um zoológico, no estado Paraíba. Ela havia sido resgatada de um circo, em 2013, onde viveu por cerca de 40 anos, entre apresentações circenses, viagens, torturas e condições insalubres de saúde. Como reflexo do tempo em que viveu nos picadeiros, desenvolveu um quadro de osteomielite, doença incurável ,que causa infecção nos ossos e na medula óssea, resultando em muitas dores ao animal.

“Havia alguns sinais ao redor de seu corpo de que ela havia se mexido um pouco durante a noite, mas nada indicava que ela tivesse tentado se levantar. Durante todo o tempo em que ela ficou deitada, ela ainda estava lá mentalmente, mas parecia menos responsiva do que qualquer elefante que já vimos que ficou caído por qualquer período de tempo”, explicou a equipe do Santuário de Elefantes.

“Normalmente, você veria o elefante jogando terra sobre seu corpo ou as orelhas batendo – mesmo no chão, eles permanecem ativas – mas não houve nada disso por parte de Lady. Ela dormia e, ao ser abordada, abria os olhos e olhava para você, mas depois voltava a dormir”, acrescentaram.

Conforme publicação do Santuário, ela foi monitorada durante todo o dia na última terça-feira (14) e continuou recebendo analgésicos para suas dores, mas não houve nenhuma alteração em seu Estado até esta quarta-feira, quando foi decidido, em comum acordo, pela eutanásia de Lady.

“Na manhã de quarta-feira (15), toda a nossa equipe veterinária esteve aqui, incluindo Mateus, Dra. Trish e Dra. Luciana, veterinária de equinos contratada que faz visitas quinzenalmente. Como um grupo de pessoas que trabalha com Lady o tempo todo, nós a avaliamos e tristemente concordamos que Lady parecia ter parado de lutar e estava pronta para partir”, pontuou.

(Foto: Reprodução/Montagem)

ELEFANTES - maia-rana-mara - SANTUÁRIO DE CHAPADA.jpg

As elefantas Maia, Rana e Mara, moradoras do Santuário de Elefantes, em Chapada dos Guimarães.

O SANTUÁRIO

A Associação Santuário de Elefantes Brasil (SEB) é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que resgata elefantes cativos em situação de risco, oferecendo-lhes o espaço, as condições e os cuidados necessários para que possam se recuperar física e emocionalmente dos anos passados em cativeiro.

Agora, o Santuário tem cinco habitantes: Maia, Rana, Mara, Bambi e Guillermina, todas elefantas asiáticas resgatadas, após décadas de suas vidas trabalhando em circos e zoológicos.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia