Única News - Notícias e Fatos com Credibilidade

Sexta-feira, 25 de Agosto de 2017, 08h:13

JN mostra flagrantes de entrega de dinheiro a políticos de Mato Grosso

Rayane Alves

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB) publicou nas redes sociais uma nota para esclarecer sobre a delação premiada do ex-governador Silval Barbosa onde mostra um vídeo dele recebendo dinheiro de propina. No Facebook, o prefeito falou que recebeu com indignação a notícia veiculada a imagem totalmente deturpada.

 

(Foto: Luiz Alves/ Secom/Prefeitura)

prefeito-emanuel 2.jpg

 

“Por tratar-se de processo judicial com caráter sigiloso o qual ainda não tive acesso e, por recomendação dos meus advogados, não vou me estender a esta acusação. O que tenho a plena ciência é que estamos no começo de uma grande mudança e humanização da capital de nosso Estado”, diz trecho da publicação.

 

 

Segundo o prefeito, vários obstáculos devem ser superados pela frente. “Não me falta coragem para seguir na construção da nossa Cuiabá dos 300 anos e na defesa da minha dignidade pessoal e da minha família. Tenho a verdade do meu lado, 28 anos de vida pública transparente como minha principal testemunha para enfrentar esta injustiça”, finalizou. 

 

Reportagem JN 

O Jornal Nacional teve acesso com exclusividade a flagrantes de entrega de dinheiro a políticos de Mato Grosso. O material faz parte da delação do ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa, do PMDB.

 

Todo esse material que está na delação já foi validado pelo Supremo Tribunal Federal. Essa delação foi homologada pelo ministro relator do caso, Luiz Fux. Na delação, o ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa entrega, além das suspeitas em depoimentos, também áudios e vídeos para comprovar essas suspeitas de corrupção, pagamentos de propina, que ele revela na delação premiada.

 

As imagens mostram todos esses pagamentos em dinheiro para vários políticos de Mato Grosso. Essas entregas de dinheiro eram feitas na sala do chefe de gabinete do então governador de Mato Grosso Silval Barbosa, hoje delator.

 

Nas imagens, aparecem o atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, do PMDB, que enche os bolsos do palitó de dinheiro, deixando até cair. Ele, em seguida, se agacha e junta os maços de dinheiro. O material foi entregue pelo delator Silval Barbosa.

 

Nas imagens também aparece o deputado federal Ezequiel Fonseca, do PP, Partido Progressista, que recebeu dinheiro em uma caixa de papelão. Já o então deputado estadual Hermínio Barreto, do PR, leva uma mala onde coloca os maços de dinheiro.

 

A atual prefeita de Juara, Luciane Bezerra, do PSB, guarda o dinheiro na bolsa. O ex-deputado estadual Alexandre César, do PT, Partido dos Trabalhadores, recebe o dinheiro e coloca em uma mochila.

 

Na delação, Silval disse que essas entregas foram feitas pelo então chefe de gabinete dele, Sílvio César, que é aquele que aparece nas imagens entregando o dinheiro. O ex-governador também citou o atual ministro da Agricultura, Blairro Maggi, que foi governador de Mato Grosso e de quem Silval foi vice-governador.

 

Ele contou uma susposta tentativa de obstrução de justiça, para que o ex-secretário de Fazenda de Mato Grosso Éder Moraes se retratasse em depoimento, voltasse atrás no que disse. Para isso, segundo a delação de Silval, o próprio Silval pagou R$ 3 milhões e Blairo Maggi outros R$ 3 milhões para que Éder Moraes se retratasse nesse depoimento.

 

"Que nessa conversa o declarante expôs a Blairo Maggi o pedido feito por Éder Moraes de R$ 6 milhões para se retratar, tendo Blairo Maggi concordado em efetuar o pagamento de R$ 3 milhões para que Éder se retratasse das delcarações que implicavam o declarante e Blairo Maggi".

 

A delação foi homologada no dia 9 de agosto pelo ministro relator do caso, Luiz Fux.

 

O que dizem os citados.

 

Oscar Bezerra, deputado estadual, do PSB, declarou que a esposa dele, Luciane Bezerra, prefeita de Juara, recebeu dinheiro para quitar dívidas de campanha eleitoral.

 

O advogado de Sílvio César disse que não pode comentar porque a delação está sob sigilo.

 

Os demais citados não foram localizados.

 

Confira reportagem na íntegra