Cuiabá, 18 de Junho de 2024

JUDICIÁRIO Sexta-feira, 22 de Março de 2024, 07:55 - A | A

22 de Março de 2024, 07h:55 - A | A

JUDICIÁRIO / CAUTELAR NEGADA

TJ nega semiaberto a ex-PM que liderou assaltos a agências bancárias em Cuiabá

Em um dos roubos, bandidos levaram R$ 500 mil de uma agência no Distrito Industrial de Cuiabá com a ajuda de um vigilante

Ari Miranda
Única News



O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) negou revogação de prisão ao ex-policial militar Uesdra de Souza (34), condenado a mais de 19 anos de cadeia por participação em uma quadrilha especializada em roubos a bancos, em Cuiabá.

A decisão é do desembargador José Zuquim Nogueira, da 2ª Câmara Criminal do TJ e foi seguida por unanimidade pelos desembargadores da Corte Estadual, em sessão realizada nesta quarta-feira (20).

Uesdra foi preso preventivamente no dia 27 de julgode 2016, na cidade de Curitiba (PR), após ser apontado como um dos bandidos que cometeu um assalto a uma agência do Banco do Brasil, no Distrito Industriário de Cuiabá, em 1º de Abril daquele ano.

Desde sua condenação, em 2019, o ex-militar cumpria pena em regime semiaberto desde a condenação, mas voltou ao regime fechado em 2023 por descumprimento reiterado das medidas cautelares.

Após a determinação da Justiça, a defesa do acusado recorreu ao TJ, alegando que Uesdra não cometeu nenhuma "falta grave" nos descumprimentos do regime semiaberto.

No entanto, o desembargador Rui Ramos classificou como “inaceitáveis” os reiterados descumprimentos de cautelares por parte do ex-policial, enfatizando a ineficiência da tornozeleira eletrônica no cumprimento da prisão pelo acusado.

“Com a devida vênia, são inúmeros os registros de desligamento da tornozeleira eletrônica. E depois vir dizer que isso não é muito? Isso é inaceitável”, afirmou.

“Talvez a tornozeleira eletrônica fosse boa para a última fase, o regime aberto. Mas aceitou-se para o regime semiaberto, que se tornou absolutamente nada. Na prática, [o regime semiaberto] é nada. Essa é a verdade”, asseverou.

VIGILANTE FACILITOU ASSALTO

Uesdra de Souza e um vigilante bancário, de iniciais J.G.B foram presos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em julho de 2016, pelo crime no Distrito Industrial de Cuiabá.

Segundo as investigações, o ex-PM liderou o bando, composto por outros três assaltantes, que agiram após o vigilante da agência facilitar o acesso deles à agência.

Conforme investigações da GCCO, J.G.B teria entregado o controle da porta giratória da agência a Uesdra um dia antes do assalto. Para isso, o vigilante receberia a quantia de R$ 15 mil.

De acordo com a PM, durante os assaltos, o ex-militar e seus comparsas faziam pressão psicológica e intimidavam funcionários da agência, mostrando fotos de familiares deles nas redes sociais, para amedrontar as vítimas e coagi-las a não reagirem ao assalto ou dar descrições da quadrilha à Polícia.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia