Cuiabá, 28 de Maio de 2024

POLÍCIA Quinta-feira, 27 de Abril de 2017, 17:40 - A | A

27 de Abril de 2017, 17h:40 - A | A

POLÍCIA / ASSASSINATO NO PRESÍDIO

Detentos mataram terrorista por motivo fútil, diz inquérito da DHPP

Segundo a Polícia Civil, o reeducando foi investigado na operação Hashtag da Polícia Federal, por suspeita de envolvimento com atividades terrorista

Da Redação



(Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto)

 

Foi encaminhado nesta quarta-feira (26), para A Primeira Vara da Comarca de Várzea Grande, o inquérito policial, elaborado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), referente à morte do detento Valdir Pereira da Rocha, de 36 anos.

 

Segundo a Polícia Civil, o reeducando foi investigado na operação Hashtag da Polícia Federal, por suspeita de envolvimento com atividades terrorista. Valdir estava preso na Cadeia Pública do Capão Grande, em Várzea Grande, depois de ser transferido de um presídio federal. Ele foi morto em outubro de 2016.

 

A Polícia Civil indiciou quatro detentos por crime de homicídio qualificado, por motivo fútil. Os reeenducandos, Ewerton Rodrigues de Lima, conhecido por “Japão”, foram apontados como o mentor da ordem para espaçar Valdir e Kaio Eduardo de Oliveira teria sido o executor das agressões (chutes e socos ). Já os detentos, Alexandre de Amaral Teophiro Ribeiro (Alemão) e Jorge Lima Oliveira (Salve Jorge) foram quem quebraram o cadeado da cela, dando acesso aos demais presos do raio.

 

A motivação apurada, em tese, seria o fato de Valdir ser acusado de terrorista. Os presos alegaram em interrogatório que não queriam Valdir naquele raio junto aos demais detentos. Então decidiram iniciar a briga para que ele fosse removido do local. 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3