Cuiabá, 17 de Fevereiro de 2020

POLÍCIA
Sexta-feira, 17 de Janeiro de 2020, 16h:51

POLÊMICA

MP de Minas Gerais autoriza contratação do goleiro Bruno pelo Operário Várzea-grandense

Elloise Guedes
Única News

Divulgação

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) emitiu parecer favorável para transferência do goleiro Bruno Fernandes para o clube Operário Várzea-grandense. O pedido realizado pelo Operário, foi atendido pelo promotor Aloísio Rabelo de Rezende. O jogador cumpre pena em regime semiaberto em Varginha-MG, pelo homicídio de Eliza Samudio. O contrato de Bruno será de um ano e o salário de quase R$ 5 mil.

Segundo informações do site de esportes Super.FC, o documento obtido pela reportagem foi entregue na última quarta-feira (15), pelo próprio promotor de justiça.

“Considerando que a obtenção de trabalho foi uma das condições assumidas para o cumprimento da pena no regime semiaberto em prisão domiciliar e tendo em vista a profissão que sempre exerceu o reeducando e o teor da proposta de emprego por ele apresentada, o MP não se opõe ao requerimento”, diz trecho do parecer, obtido pelo site Super FC.

Ainda de acordo com o site, o Operário também pediu a transferência da execução da pena de Bruno para a cidade de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. A decisão de autorizar a vinda ou não do goleiro ficará a cargo do juiz Tarcísio Moreira de Souza.

O Operário acredita que o jogador possa ajudar o clube no Campeonato Mato-grossense, Copa do Brasil – enfrenta o Santa Cruz na primeira fase – e Série D do Campeonato Brasileiro.

Pontos Negativos

A nova contratação do Clube Esportivo Operário Várzea-grandense vem causando indignação a representantes de várias entidades que defendem os Direitos da Mulher em Mato Grosso.

A procuradora Glaucia Amaral, presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM-MT), disse em entrevista ao site Única News que a nova contratação gera inúmeros pontos negativos para o time, que dá uma “chancela ao feminicídio”. Veja a matéria

A torcida

Nas redes sociais do time, vários torcedores estão repudiando a nova contratação. Há comentários na conta do Instagram do clube de torcedores que se dizem envergonhados se essa nova contração, de fato, acontecer.

A procuradora Glaucia Amaral apoiou o boicote da torcida como uma forma de protesto. "Esperamos um boicote da torcida do Operário. Ninguém compra camiseta, ninguém vai aos jogos. Para os dirigentes sentirem que esse tipo de atitude não vale a pena", disse a procuradora.

O Feminicídio

Bruno foi preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho, Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas esta pena foi extinta, porque a Justiça entendeu que o crime prescreveu sem ser julgado em segunda instância. As penas somadas são de 20 anos e 9 meses.

Atualmente, o goleiro cumpre pena em regime semiaberto domiciliar em Varginha, onde está desde abril de 2017. Ele conseguiu a progressão de pena em 19 de julho, após uma decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais do município.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE