Cuiabá, 25 de Maio de 2024

POLÍCIA Quinta-feira, 22 de Junho de 2017, 11:57 - A | A

22 de Junho de 2017, 11h:57 - A | A

POLÍCIA / CRIME ORGANIZADO

Presa quadrilhada que roubou 15 carretas em dois meses; prejuízo de R$ 2 mi

Da Redação



(Foto: Reprodução)

IMG-20160401-WA0094.jpg

 

Cinco pessoas foram indiciadas por roubo de carretas carregadas de grãos de soja, na região Norte de Mato Grosso. 

 

O inquérito será encaminhado à Justiça nesta quinta-feira (22), com o indiciamento de quatro dos envolvidos nos crimes de furto qualificado em concurso de pessoa e associação criminosa, e um por receptação qualificada.

 

O chefe da organização criminosa, Cleo Michelangelo Sperotto, 36 anos, teve o mandado de prisão cumprido na sexta-feira, 17 de junho, depois da prisão em flagrante de integrante da quadrilha, no dia 12. São eles: o motorista da quadrilha, Marcelo Eduardo Fumegali, 28; o ‘olheiro’ da quadrilha, Claudemir Lourenço da Silva, 33, Nelson Batista Romano, 33, que dava apoio logístico, e o dono de um armazém, Edson Santos Guolo, 45.

 

Nelson Batista, além do flagrante, teve um mandado de prisão cumprido por crimes de roubo e associação criminosa, praticados em Juara.

 

Conforme as investigações, a organização é acusada de furtar nos últimos dois meses  pelo menos 15 carretas nos municípios de Guarantã do Norte, Matupá, Sorriso, Peixoto de Azevedo e Sinop. O prejuízo estimado é de cerca de R$ 2 milhões.

 

“Nos primeiros furtos eles pegavam as carretas descarregavam a carga e abandonavam a carreta. Nos últimos eles furtavam e sumiam com a carga e a carreta. Passamos a receber denúncias e acreditávamos que o receptador seria alguém da região”, disse o delegado da Delegacia de Roubos e Furtos (Derf), Ugo Ângelo Reck.

 

Os presos confessaram quatro furtos, sendo três deles praticados em Sinop, e um em Matupá. Cada carga está avaliada em aproximadamente R$ 50 mil, podendo chegar a R$ 500 mil, o prejuízo as vítimas dos quatro furtos. “Os quatros presos confessaram quatro furtos, mas nos últimos dois meses foram mais de 10”, afirmou o delegado.

 

Conforme  o delegado Ugo, o motorista da quadrilha, Eduardo Fumegali, com informações de possíveis alvos, repassadas pelo “olheiro”, Claudemir Lourenço, referente a carretas desengatadas estacionadas em postos de combustíveis, se aproximava com um caminhão Volvo, fazia o engate na carreta e saia com a carga.

 

O trator dirigido por Marcelo foi visto engatando uma carreta na cidade de Matupá, no posto Trevão e também em outros postos. Depois foi flagrado por câmeras de seguranças em praças de pedágios nas cidades de Sinop e Sorriso.

 

No último furto, investigadores, que vinham monitorando a quadrilha, receberam informações de que haveria um furto na cidade de Sinop. Os policiais passaram a percorrer postos para identificar carretas estacionadas desengatadas do trator, iniciando o monitoramento dos pontos com ajuda de policiais do Grupo Armado de Resposta Rápida, até que avistaram o veículo suspeito em um dos locais.

 

O veículo engatou em uma carreta e saiu sentido Sorriso. Os policiais acompanharam o trajeto do caminhão, até o momento que chegou ao armazém de grãos, em Sinop, iniciando assim a sequência de prisões dos integrantes da quadrilha.

 

Dois dos integrantes tinham vínculo próximo com o chefe da organização. Marcelo alugava uma casa que pertence a Cleo Michelangelo Sperotto e Claudemir era gerente de uma loja de autopeças de caminhão, cujo proprietário é Cleo Michelangelo. (Com Assessoria)

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3