Cuiabá, 19 de Maio de 2024

POLÍCIA Sábado, 23 de Setembro de 2017, 12:07 - A | A

23 de Setembro de 2017, 12h:07 - A | A

POLÍCIA / JUSTIÇA FEITA

Quase prestes a prescrever crime, empresário de MT é preso em Piauí por matar caminhoneiro

Da Redação



(Foto: Reprodução)

algemado-preso.jpg

 

Foi preso no Piauí nesta última quinta-feira ((21), o empresário Edegar da Costa Ribas, foragido há 19 anos, após assassinar o caminhoneiro Getúlio Carlos Antunes Rodrigues, em Campo Novo dos Parecis (396 km a Noroeste de Mato Grosso).  

 

A prisão é resultado de uma parceria com a Polícia Civil do Piauí e de Mato Grosso O assassinato estava sendo investigado pela Gerência Estadual da Polinter de Mato Grosso, com apoio da Ouvidoria da PJC. Desde 1998, Edegar era procurado pelo latrocínio do caminhoneiro, que teve o corpo encontrado em uma plantação de soja, após ter o caminhão roubado juntamente com a carga.

 

Há vários anos no Piauí, o empresário chegou a disputar eleições para deputado estadual. Ele foi preso na casa da companheira, em Terezina, capital de Piauí.

 

O crime em Campo Novo dos Pareci já estava prestes a prescrever. Mas o irmão de Getúlio Carlos, pediu que Edear fosse localizado. Via e-mail à Ouvidoria da Polícia Civil neste ano, o irmão relatou a angústia da família, que passados tantos anos da morte do caminhoneiro, o caso estaa em aberto e as innestigações teriam se tornado morosas. Assim, ele pediua atenção ao caso, ja que estavam há quase 20 anos sem resposta.

 

O mandado de prisão  foi expedido pela Comarca de Tangará da Serra em 21 de maio de 1998, pelo crime de latrocínio cometido em Campo Novo dos Parecis, que estava prestes a prescrever.

 

O delegado, Jefferson Dias, atual Ouvidor Setorial da PJC, informou que foram realizadas diversas pesquisas, tanto com pedido de informações junto a Delegacia de Campo Novo dos Parecis e também nos Fóruns das comarcas de Tangará da Serra, Diamantino e Campo Novo dos Parecis, para localização do processo criminal, sendo descoberto que o mandado de prisão preventiva expedido contra o suspeito, estava com um pequeno erro na grafia, havia trocado o "e", do nome do empresário, que se chama Edegar da Costa Ribas, por "i", constando a ordem judicial como Edigar da Costa Ribas. 

 

“O setor de mandados de prisão e operacional da Polinter de Mato Grosso atuou em parceria com a Ouvidoria e a Polícia Civil do Piauí para prisão do empresário, que deverá ser recambiado para Mato Grosso”, disse o delegado Juliano Carvalho.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3