Cuiabá, 20 de Janeiro de 2021

POLÍTICA MT
Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020, 09h:26

"SERIA UM TAPA NA CARA"

Base aliada se revolta e Pinheiro nega reunião do MDB com Mauro Mendes

Euziany Teodoro
Única News

(Foto: Marcus Mesquita)

O prefeito reeleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, abandonado pelas lideranças políticas do Estado, especialmente dentro de seu próprio partido, o MDB, negou participar de uma reunião articulada pela sigla com o governador Mauro Mendes (DEM). A reunião aconteceria nesta quinta-feira (3).

O MDB, depois de ignorar o prefeito na campanha e vários membros se colocarem contra ele – como o próprio presidente do partido, deputado federal Carlos Bezerra, e a deputada estadual Janaina Riva -, agora marcou a reunião na tentativa de “assumir o meio de campo” para aproximar Mendes e Pinheiro, que são declarados rivais políticos.

“Todas as lideranças se uniram pra me atacar, o governador veio junto, me atacando mais do que qualquer um deles e, não obstante, continuamos nossa campanha humilde, respeitando a população, com uma gestão que chegou no final da campanha com 86% de aprovação popular. E olha que eu sofro ataques dia e noite nos últimos 3 anos e meio e na reeleição fui atacado dia e noite”, desabafou Pinheiro, em entrevista à TV Cidade Verde, nessa quarta-feira (2).

Ainda que Emanuel tenha levantado bandeira branca, pedindo uma relação institucional com Mauro Mendes para que a Capital não seja prejudicada, a base aliada do prefeito achou inaceitável que justo o MDB, depois de abandoná-lo, tente fazer isso.

"Carlos Bezerra me ligou dizendo que amanhã (hoje, 3) o governador Mauro Mendes receberá os 24 prefeitos eleitos do MDB e aí o Mauro Carvalho me ligou pedindo para aproveitar pra eu ir lá e tal. (...). Mas minha base já reagiu e questionou. ‘Assim não dá’. Você falou o tempo inteiro de construir um novo projeto, as lideranças das nossas coligações nos abandonaram. O povo cuiabano é que esteve do nosso lado e agora você vai com o MDB pra lá, falar com o governador?’”, contou Pinheiro.

De acordo com o prefeito, o coordenador da coligação e da campanha, Vanderlúcio Rodrigues (PP), afirmou que a reunião articulada pelo MDB seria “um tapa na cara” de quem vestiu a camisa.

“Eu acho que você não deve ir, Emanuel. É um tapa na nossa cara, de quem vestiu a sua camisa, você agora ir para o governador, como se o MDB fosse o grande vencedor”, teria dito Vanderlúcio.

Ainda no entendimento da base, de acordo com Emanuel, o governador Mauro Mendes foi muito ofensivo na campanha e este não seria o melhor momento para a reunião. “Eu tentei explicar que é meu partido, mas eles acham que eu não devo. Eles acham que o governador foi muito ofensivo, baixou o nível demais e feriu o brio dos nossos companheiros. Eles querem que baixem os ânimos um pouco e possamos fazer uma agenda positiva e propositiva para Cuiabá”, explicou.

Para Pinheiro, não há mais políticos com personalidade. Hoje, as lideranças “curvam” suas convicções para não se indispor com quem está no comando.

“As lideranças políticas estão se curvando, curvam suas convicções para não contrariar o líder de plantão. O que é o líder de plantão? Não é um líder nato, é um líder que está com o poder, com a caneta na mão. O Mauro Mendes é o governador. Senadores, deputados federais, deputados estaduais, deixam de lado sua força, sua liderança, sua representatividade para tentarem, por algum motivo, agradar o chefe do poder executivo ou não desagradar o chefe do poder executivo. Aí rifam partidos, rifam compromisso, rifam convicções. Escondem sua liderança e ficam submissas a uma relação estranha”, avaliou o prefeito.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE