Cuiabá, 22 de Maio de 2024

POLÍTICA Sábado, 15 de Abril de 2017, 12:26 - A | A

15 de Abril de 2017, 12h:26 - A | A

POLÍTICA / EM REUNIÃO NA AL

Bolsões de pobreza e recursos escassos barram crescimento da Baixada, dizem prefeitos

Da Redação



(Foto: AL-MT)

Presidente do Vale do Rio Cuiabá.JPG

 

Prefeitos da Baixada Cuiabana, hoje também connhecido como o Vale do Rio Cuiabá estão criando uma frente para debater, com urgência, os problemas de uma região onde estão concentrados os maiores bolsões de pobreza. E os índices sociais são alarmantes quando analisados os quesitos analfabetismo e doenças infectocontagiosas, além de outros aspectos que têm barrado o avanço dos municípios.

 

Para encontrar uma saída, sob o olhar das alternativas políticas, com projetos, claros, exequíveis, os prefeitos das cidades do Vale do Rio Cuiabá, estiveram reunidos na Assembleia Legislativa, nesta semana. Eles querem uma agenda única, a ser trabalhada pela Frente Parlamenta, capaz de suplantar o tamanho dos problemas que convivem. 

 

O presidente do Consórcio Vale do Rio Cuiabá, João Antônio da Silva Balbino, pediu ao deputado Allan Kardec, membro da Frente, que ajudem por meio de recursos, emendeas e projetos que possam construir um desenvolvimento econômico sustentável para os municípios. Um trabalho, de fato, sério que resulte no desenvolvimento dessas cidades.

 

De acordo com a prefeita de Chapada dos Guimarães, a tucana Thelma de Oliveira (PSDB), é imprescindível que o grupo de parlamenntares, inserido na frente, assuma a defesa dos municípios no plenário da Casa de Leis. 

 

Thelma ainda pontuou a importância de se colocar os problemas e a vocação econômica de cada cidade para se fazer uma discussão conjunta. Lembrando que, para dar celeridade a este processo, os secretários municipais devem apresentar projetos que solucionem os problemas conjuntos da região, como estradas, saneamento básico e saúde. Paralelamente, realizar reuniões, como já feitas algumas vezes com a Secretaria de Estado das Cidades (Secid) para se definir percentuais de investimentos em cada área, para cada município.

 

Segundo a prefeita de Nova Brasilândia, Marilza Augusta de Oliveira (PMDB), estão atualmente entre os principais problemas das cidades da Baixada, a necessidade de selo de certificação dos produtos produzidos nos municípios pequenos. 

 

Para ela, “a falta do Selo de Inspeção Municipal -SIM ou do Selo de Inspeção Estadual  Susef (Susef) impedem têm impedido que os pequenos produtores comercializem seus produtos. Dificultando a economia, que não conseguidoser alavancada virou um dos maiores gargalos das cidades. 

 

O prefeito de Barão de Melgaço, Elvis Souza Queiroz (PSC), ainda pontuou obre a necessidade -para incentivar o turismo nestes municípios -, da construção de ETAs ( Estação de Tratamento de Água).

 

A Frente Parlamentar do Vale do Rio Cuiabá foi instalada em 2015 e no ano passado foi coordenada pelo atual presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB). Ela trabalha com cinco eixos estratégicos comuns aos 13 municípios que compõem o Vale do Rio Cuiabá - infraestrutura, agricultura familiar, turismo, saúde e segurança. 

 

Na reunião realizada no Legislativi estadual, estiveram presentes prefeitos e representantes dos municípios de Acorizal, Jangada, Rosário Oeste, Nova Brasilândia, Chapada dos Guimarães, Santo Antônio de Leverger, Nossa Senhora do Livramento, Nobres, Várzea Grande, Planalto da Serra, Poconé, Barão de Melgaço e Cuiabá.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia