Cuiabá, 25 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 07 de Dezembro de 2018, 17:22 - A | A

07 de Dezembro de 2018, 17h:22 - A | A

POLÍTICA / EM SERVIDORES

Contradições entre Taques e secretários causam temor sobre salários e RGA

Claryssa Amorim



(Foto: Reprodução)

WhatsApp Image 2018-12-07 at 16.14.54.jpeg

 

Foi marcada uma nova reunião para a próxima segunda-feira (10) entre o governo do Estado e o Fórum Sindical, que busca uma resposta sobre o possível escalonamento de salários, atraso do 13º salário e a dívida da Revisão Geral Anual (RGA).

 

Segundo o coordenador do Fórum Sindical, Oscarlino Alves, o secretário da Casa Civil, Ciro Gonçalves, disse que não há resposta para os questionamentos e que deve sentar com o governador Pedro Taques (PSDB) para tentar solucionar os problemas.

 

Os servidores estiveram na tarde desta-sexta-feira (7), no Palácio Paiaguás, para cobrar explicações sobre o escalonamento na folha salarial de novembro deste ano, que deveria ser quitada até o dia 10 de dezembro e ainda sobre os 2% da RGA que deveria ter sido repassada em outubro. "O governo admitiu que está no fio da navalha principalmente no mês de dezembro, que é atípico, onde tem que se pagar 13º residual, Fundeb, e a parcela do Fex ainda não entrou, e estava prevista no orçamento". 

 

De acordo com Oscarlino, os servidores foram pegos de surpresa, já que na reunião realizada na semana passada com o chefe da Casa Civil, em nenhum momento foi discutido a possibilidade de atraso na folha de pagamento. E que discutiu-se alternatibvas sobre o pagamento da RGA.

 

Ainda afirmando que também o parcelamento não está sacramentado e que o Fórum Sindical irá brigar para que ele não ocorra. Pontuando que a entidade irá exigir que o pagamento seja feito no horário bancário, assim como não atrase mais o pagamento do 13º salário dos servidores.

 

Nesta sexta-feira, em coletiva de imprensa, o atual governador Pedro Taques (PSDB) declarou que o seu desejo é pagar os servidores até a próxima segunda-feira (10), data limite para os repasses em dia da folha. E ainda que irá à Brasília na próxima segunda-feira(10), buscar a liberação do Fundo de Exportações, o FEX. Ao todo, o valor do repasse do Governo Federal é de R$ 400 milhões. 

 

Um confronto de colocações, ainda lembra Oscarlino, já que em reunião nesta última quinta-feira (6), Gallo já apresentou as possibilidades do escalonamento, que pode ocorrer em até 4 vezes. Sem contar com os impostos, ou seja, de forma líquida, o Estado precisa de R$ 528 milhões para quitar os salários dos servidores até a próxima segunda-feira. E que, por enquanto não havia dinheiro em caixa.

 

“Nós estamos trabalhando firmemente para pagar no dia 10 agora, prazo que a Constituição Federal determina. Desde o início do governo temos dito sobre as dificuldade do caixa do governo, mas tão logo se decida sobre a situação, os servidores serão comunicados", afirmou.

 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia