Cuiabá, 22 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 05 de Outubro de 2017, 09:16 - A | A

05 de Outubro de 2017, 09h:16 - A | A

POLÍTICA / OPERAÇÃO ESDRAS

Coronel que acabou confessando esquema para gravar Perri propõe delação

Wellyngton Souza / Única News



(Foto: Reprodução)

CORONEL PERRI .jpg

 

O tenente-coronel, José Henrique Costa Soares, que revelou à Polícia Civil que chegou a gravar um áudio de uma conversa com o desembargador do Tribunal de Justiça, Orlando Perri, que conduz os inquéritos sobre esquema dos grampos clandestinos, propôs um acordo de delação premiada caso o Ministério Público Estadual (MPE) decida abrir processo contra o oficial.

 

De acordo com a defesa do advogado, Domingos Sávio Ferreira da Costa, o pedido foi levado aos delegados Ana Cristina Feldner e Flávio Henrique Stringueta, no último dia 26, após confissão do tenente.

 

O oficial era escrivão do Inquérito Policial Militar (IPM) sobre esquemas de escutas clandestinas. Ele teria sido cooptado pelo grupo responsável pelos grampos, presos no último dia 27, na operação Esdras, deflagrada pela Polícia Civil.

 

Como atuava diretamente nas investigações, ele tinha proximidade e acesso ao desembargador. Por isso, segundo as investigações da Polícia Civil, teria condições, também, de gravar Perri por meio de uma câmera escondida em sua farda.

 

De acordo com a delegada Ana Cristina Feldner, responsável por conduzir o inquérito sobre o caso, a ideia do grupo criminoso era tentar obter declarações do magistrado e tirá-las do contexto com o propósito de alegar a sua suspeição em relação às investigações.

 

Caso o acordo seja aceito, o coronel deve ter a pena reduzida ou até mesmo absolvição caso seja denunciado pelo MPE por tentativa de obstruir as investigações e participação na organização criminosa. O documento está sob análise do Tribunal de Justiça. 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia