Cuiabá, 07 de Março de 2021

POLÍTICA MT
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2021, 17h:52

"SEM CONDIÇÕES SANITÁRIAS"

Deputado vai recorrer da decisão que negou suspender Enem em MT

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução)

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) anunciou que vai recorrer da decisão da 3ª Vara Federal, que negou adiar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por causa da pandemia em Mato Grosso. As provas estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro, neste e no próximo domingo.

Segundo o deputado, que é médico sanitarista, o Estado não tem condições sanitárias adequadas para a realização da prova, inclusive a estrutura suficiente e necessária na rede de saúde - pública e privada - para atendimentos de casos de Covid-19.

“A Justiça precisa considerar a evolução da pandemia para tomar essa decisão, e não apenas a taxa de ocupação dos leitos existente hoje. Existe uma evolução da curva de ocupação. Há um mês, a ocupação era metade do que é hoje. E daqui algumas semanas, a ocupação dos leitos será total e viveremos um novo colapso da rede de saúde. Isso sem considerar os efeitos da aglomeração que o Enem vai produzir. As aglomerações do Enem podem agravar ainda mais a situação da pandemia em Mato Grosso”, afirmou Lúdio.

O parlamentar destacou ainda que não é possível comparar a exposição e o risco de contágio do Enem com o dia das eleições.

Isso porque, na decisão, o juiz citou que assim como as eleições, existe interesse público no Enem, já que o Governo Federal oferece diversos programas nas universidades com notas da prova.

“Na eleição, a pessoa chega, vota e vai embora. Ela não fica numa sala fechada com diversas pessoas por mais de quatro horas, como acontece na prova do Enem”, observou.

Na ação, Lúdio argumenta que, dos 101.719 candidatos que farão o Enem em Mato Grosso, apenas 2.819 farão a prova no formato digital, enquanto os outros 98.900 realizarão o exame na forma impressa, e ficarão aglomerados em salas fechadas, realizando a prova que tem duração de 5h30.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE