Cuiabá, 22 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 30 de Maio de 2017, 14:57 - A | A

30 de Maio de 2017, 14h:57 - A | A

POLÍTICA / COM ESQUEMA NA SEDUC

Empresário afirma ter arrecado mais de R$ 1 milhão em propina

Wellyngton Souza / Única News



(Foto: Reprodução)

Seduc-MT.jpg

 

Réu na operação Rêmora, o empresário Giovani Guizardi afirmou ter recebido R$ 1,2 milhão o que representa cerca de 10% da propina que era arrecadada dentro da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) por meio de fraudes em licitação.

 

Ainda de acordo com o depoimento do empresário na tarde desta terça (30), à juíza da Sétima Vara Criminal, Selma Arruda, Giovani afirma que toda propina arrecadada era dividida entre o empresário e delator na operação, Luiz Fernando da Costa Rondon - que também é ouvido pela magistrada. Além dele, tinham envolvimento no esquema o o deputado Guilherme Maluf (PSDB), o empreário Alan Maluf e o ex-secretário da pasta, Permínio Pinto.

 

Já o segundo delator do esquema, Luiz Rocha, comenta que foi abordado por outros empresários para participar de uma reunião para definir obras na Seduc. Assume que pagou uma vez propina para Giovani Guizardi, mas depois não deu sequência. "Ele me pediu 5% sobre meus recebimentos e eu disse que não tinha como pagar. Daí, ele abaixou para 3% e eu voltei a dizer que não conseguiria honrar", assinalou.

 

De acordo com o Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), entre os suspeitos estão servidores e empresários. Os funcionários públicos recebiam informações privilegiadas sobre as licitações e organizavam reuniões com empreiteiros para fraudar a livre concorrência do processo licitatório.

 

O empresário Giovani Belatto Guizardi, dono de uma construtora, foi apontado como a pessoa responsável por arrecadar a propina paga pelos empreiteiros. Após o pagamento por parte da Seduc aos empresários, os valores (que eram 5% mas caíram para 3%) eram devolvidos a parte da organização criminosa por meio de Guizardi.

 

 

Pelo menos 23 obras totalizando R$ 56 milhões eram alvos da organização criminosa, que segundo o Ministério Público Estadual (MPE), era chefiada pelo então secretário estadual de Educação, Permínio Pinto (PSDB).

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia