Cuiabá, 19 de Maio de 2024

POLÍTICA Sábado, 17 de Junho de 2017, 14:32 - A | A

17 de Junho de 2017, 14h:32 - A | A

POLÍTICA / LIBERDADE NEGADA

Ex-candidato a vice em Cuiabá, o pastor Paulo completa 2 meses preso por abuso sexual

Da redação



(Foto: Reprodução)

pastor_interna.jpg

 

Completou dois meses nesta semana a prisão do pastor Paulo Roberto Alves, de 52 anos, suspeito de ter cometido abuso sexual a duas menores de idade, 

 

 O suspeito foi preso no dia 13 de abril, e continua detido no Centro de Custódia da Capital (CCC).Toda a investigação corre em segredo de justiça por envolver menor.

 

Segundo informações das vítimas ao Conselho Tutelar da Capital, não houve penetração, só sexo oral. Por isso, o advogado de defesa, Lázaro Moreira, fez o pedido de soltura com base no fato de que não houve estupro.

 

A defesa ainda declarou que não existe “crime grave” para manter o pastor preso. Entretanto, no dia 05 de maio a Justiça negou o pedido de liberdade do réu, por meio da decisão do desembargador Luiz Ferreira da Silva.

 

Paulo Roberto já foi candidato a vice-prefeito de Cuiabá na chapa com Carlos Brito, como prefeito, em 2012.

 

O suspeito também fez parte da equipe de pastores da igreja Assembléia de Deus do Estado. Atuou por 10 anos no Grande Templo, localizado na capital.

 

Segundo informações, Paulo foi desligado da liderança há cinco anos, por incompatibilidade com o regimento interno ao não obedecer os seus superiores e por prática de assédio.

 

Após viralizar nas redes sociais a notícia da prisão do pastor, várias jovens comentaram que durante o tempo na antiga igreja, o acusado já teria tentado ou feito ofertas para pagar por programas enquanto ainda eram menores de idade.

 

 

 

Entenda o caso

 

Segundo informações do boletim de ocorrências da Polícia Militar, Paulo Roberto foi flagrado deixando as duas jovens em uma região de mata nas proximidades da Avenida das Torres, no bairro Jardim Imperial. 

 

As jovens estavam descendo de uma caminhonete modelo Toyota Hilux quando os policiais suspeitaram.

 

No momento em que os agentes chegavam próximo ao veículo, Paulo Roberto foi acusado de ter fugido em alta velocidade do local. 

 

Os policiais teriam oferecido carona para as meninas até sua residência no bairro Pedra 90, em Cuiabá. Na casa delas, a menina de 16 anos contou o que aconteceu.

 

 As duas jovens foram levadas até a Central de Flagrantes para prestar depoimento. 

 

Conforme o registro policial, a jovem de 16 anos, relatou que Paulo Roberto sempre entrava em contato com ela para poder se encontrar com a menina de onze anos. Ele teria oferecido cerca R$ 150 para a garota a fim de fazer sexo com a mais nova. Ainda segundo a menina, o acusado ligou para ela enquanto estava na escola e marcaram o encontro.

 

A jovem relatou ainda que elas foram levadas até a residência dele, mas apenas a adolescente de onze anos teria cometido relações com Paulo Roberto, enquanto a outra aguardava. Após o ato sexual, Paulo pagou as jovens e deixaram elas na Avenida as Torres.

 

Por meio da identificação da placa do veículo, os policiais conseguiram localizar o endereço do acusado e deu voz de prisão ainda na residência. As jovens reconheceram Paulo na delegacia.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia