Cuiabá, 19 de Julho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2019, 14:42 - A | A

28 de Janeiro de 2019, 14h:42 - A | A

POLÍTICA / NO TWITTER

Medeiros ironiza renúncia de Jean Wyllys e é criticado por internautas

Da Redação



(Foto: Senado)

jose medeiros.jpg

 

Após fazer um post nas redes sociais – particularmente no Twitter –, ironizando a renúncia do deputado federal, Jean Wyllys, reeleito pela 3ª vez, por possíveis ameaças de morte e difamação, o senador José Medeiros (Podemos) se envolveu em uma discussão com internautas na última sexta-feira (25).

Medeiros justificou que suas mensagens foram apenas em resposta a insultos que sofreu dos internautas.

Na sexta, o senador publicou em sua página uma foto do gramado do Congresso Nacional, com a legenda, “Tem ninguém aqui hoje, essas ameaças estão demais”.

Após, uma internauta respondeu a publicação de Medeiros chamando-o de deprimente. Logo depois, o senador retrucou a publicação com um ‘gif’ de um personagem do filme 'Os Pinguins de Madagascar'.

Em seguida, Medeiros é questionado pela internauta “E se fosse você o ameaçado? ”.

No sábado (26), outro internauta entra na discussão e critica a postura de Medeiros com palavras ofensivas.

“Isso é um vagabundo! Veja o nível do senador da República, respondendo com um GIF dos Pinguins de Madascagar”, escreveu o internauta.

Em resposta, o senador twitou: “Vagabundo é seu obstetra que cortou o cordão umbilical ao invés do seu pescoço”.

Na sexta-feira, Medeiros solicitou ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal, uma investigação sobre as denúncias apresentadas por Jean, levantando a possibilidade de venda de mandato ao seu suplente David Miranda (Psol-RJ), que assumirá o cargo eletivo.

O senador quer saber se realmente houve ameaças de morte confirmadas a Jean, além de questionar sobre os pseudoameaçadores e se já existe alguma linha de investigação sobre a origem destas mensagens.

Os internautas ainda citaram uma acusação contra Medeiros por suposta fraude na ata da convenção partidária de 2010 que chegou a ter o mandato de senador cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

No entanto, o Tribunal Superior Eleitoral suspendeu a decisão e manteve o parlamentar no cargo.

No dia 31 de janeiro, Medeiros deixará o cargo de senador e, em fevereiro, assumirá cadeira na Câmara Federal.(com informações do G1)

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia