Cuiabá, 26 de Fevereiro de 2021

POLÍTICA MT
Terça-feira, 26 de Janeiro de 2021, 10h:57

DISPUTA PELO MELHOR MODAL

Para Kalil, VG “pagou caro” por VLT, mas BRT pode ser uma solução definitiva

Abraão Ribeiro
Única News

Foto: Divulgação

Ao Única News, o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat (MDB), disse na manhã dessa terça-feira (26), por telefone, que Várzea Grande “pagou caro” pelo VLT, e que se fosse por sua escolha pessoal, ele preferiria o modal sobre trilhos.

Para Kalil, o desgaste e prejuízo que a Cidade Industrial sofreu foram enormes, pagando até com vidas de munícipes que infelizmente morreram em acidentes de trânsito ocorridos por conta das obras do VLT que rasgam a Avenida da FEB de ponta a ponta.

“Eu sou a favor do VLT. Sempre quis o VLT, por ser um modal mais moderno, econômico, menos poluente e tal. Porém se o Governo do Estado entendeu que o melhor para nós é o BRT, e que esse modal seja mais barato e funcional para os usuários, eu apoio. O que eu quero é resolver logo esse problema, porque até agora Várzea Grande está pagando muito caro por isso. Nosso prejuízo é enorme, com vidas ceifadas, empresas fechadas, falidas, prejuízo econômico, enfim... Sou a favor de uma solução para isso, seja o que for”, pontuou o prefeito.

Baracat disse ainda que concorda com Mauro Mendes (DEM) em relação a troca do modal, desde que as obras do BRT comecem por Várzea Grande, que segundo ele “foi a cidade mais afetada” com as modificações para o VLT.

“Eu concordo com o BRT desde que comece por aqui. Se o Governo do Estado optou pelo BRT, ok. Mas desde que comece por aqui por fomos os mais afetados com essa situação. Semana passada teve uma reunião lá na Sinfra, com os técnicos aqui da Prefeitura para discutir essa questão do novo modal e estamos nessa fase de discussão... por onde começar, por onde vai ser, e trechos a serem integrados também como por exemplo a grande Cristo Rei. Ela pode ser integrada ao novo projeto do BRT, e atender aquela região ali onde moram mais de 70 mil pessoas, então as discussões estão sendo nesse sentido”, frisou Kalil.

Perguntado como ficaria a situação do novo modal caso o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não aceitar a troca do VLT por BRT, em uma eterna briga que trava com o governador Mauro Mendes, Kalil preferiu não entrar nessa “seara”, se limitando apenas em dizer que ele está cuidando do que é de responsabilidade à Várzea Grande e que a cidade não vai ficar sem modal, e ainda que torce para uma “solução pacífica” entre os dois gestores.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE