Cuiabá, 21 de Janeiro de 2021

POLÍTICA MT
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020, 17h:46

ENTREVISTA À TV ÚNICA

Pinheiro diz que não teve apoio por ‘intimidação’ do governador: ‘Deplorável’

Claryssa Amorim
Única News

Roger Perisson

Em sua primeira live após a reeleição deste domingo (29), especialmente à TV Única, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) admitiu que não teve apoio de “grandes políticos”, inclusive de seu próprio partido, o MDB. Para ele, grupos políticos não declararam apoio por falta de postura e por “complexo de inferioridade”, devido à intimidação que partiu do governador Mauro Mendes (DEM).

A rivalidade entre o prefeito e o governador é antiga e continuou na campanha à Prefeitura de Cuiabá. No primeiro turno, apoiou o ex-prefeito Roberto França (Patriota), no segundo, ao maior rival de Emanuel, o vereador Abilio Junior (Podemos).

“Acho que fica um certo trauma. É um certo complexo de inferioridade. Em boa parte, parece que a classe política tem que estar na dependência do chefe do Executivo Estadual. Então, ‘se o governador falou, eu não posso fazer nada, eu tenho que seguir, eu não posso contrariar’. Quando digo complexo de inferioridade é porque isso depõe contra o político. Já pensou um senador da República se intimidar diante do governador? Quer dizer, o senador não pode ter um apoio contrário do governador mesmo que estejam juntos?”, criticou.

Emanuel comentou que esse tipo de atitude chega a ser uma desvalorização da classe política. Para ele, é “deplorável” por não ter sua própria opinião para não “contrariar” o governador.

No entanto, o prefeito disse que durante a campanha levantou a cabeça e decidiu não ir atrás de ninguém. Segundo ele, sua campanha voltada ao povo já “estava de bom tamanho”.

“Eu não estava disposto a ir atrás desse tipo de apoio. Eu queria mesmo é o povo do meu lado, então já tinha o grupo que eu queria, o grupo que me ajudou a transformar Cuiabá, a fazer essa gestão que está transformando Cuiabá. Agora, em termo de figurões, o que estivessem conosco da coligação, seriam muito bem-vindos, mas o que a gente percebeu foi essa retração, mas eu não fui atrás não. Fiquei com Deus a frente e o povo ao meu lado e dessa forma ganhamos uma eleição história, em que o povo cuiabano venceu”, disparou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE