Cuiabá, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 29 de Novembro de 2017, 16:28 - A | A

29 de Novembro de 2017, 16h:28 - A | A

POLÍTICA / MUNDO CÃO

Se aprovado por Pinheiro, passagens de ônibus em Cuiabá sobem em janeiro

Da Redação



(Foto: Reprodução/Web)

nibus-Tarifa.jpg

 

Foi encaminhou ao prefeito peemedebista, Emanuel Pinheiro, estudo propondo um aumento de R$ 0,25 na passagem do transporte coletivo na Capital. Atualmente, o preço em Cuiabá é de R$ 3,60. Caso o estudo seja aprovado, subirá para R$ 3,85 e já começará a valer a partir do dia 2 de janeiro.

 

O estudo foi encaminhado ao gestor municipal pelo presidente da Agência Municipal de Regulação de Serviços Delegados de Cuiabá (Arsec), Alexandre Bustamante

  

O chamado cálculo tarifário é feito com base no valor do diesel, nos custos das empresas com veículos, salários dos funcionários, desgaste dos pneus, valores das peças de reposição e insumos básicos.

 

“Os cálculos para índices/preços foram considerados com 3 (três) casas decimais após a vírgula e para o valor da Tarifa Reajustada (TR), consideradas 2 (duas) casas decimais, aplicando-se sempre a regra de arredondamento da ABNT – NBR 5891 (Dez/ 1977) na última casa decimal, conforme anexo VII do Edital 004/02 Concessão do serviço público de transporte coletivo urbano de passageiros na cidade de Cuiabá”, diz trecho do estudo.

 

Em 2017 Pinheiro negou o aumento da passagem. A Arsec havia proposto um aumento de R$ 4,13. Na época, o prefeito alegou que antes de "falar em aumento para realimentação de ciclo vicioso e pernicioso, temos que pensar na qualidade do atendimento à população". 

 

Entenda o caso

 

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) garantiu  no início de fevereiro, pouco após assumir a gestão municipal da Capital, que não será permitido o aumento da tarifa do transporte coletivo na capital. A revelação do prefeito foi feita após a MTU (Associação Mato-Grossense dos Transportes Urbanos) convocar uma entrevista coletiva para esta tarde, em que deverá ser anunciado o pedido de reajuste de R$ 3,60 para R$ 4,13.

 

 “Não vai adiantar essa coletiva, não vai adiantar essa pressão. Não terá [aumento da] tarifa este ano. Só vamos autorizar estudos no segundo semestre para que se pense em uma nova tarifa no início do ano que vem”, afirmou.

 

Na época a alegação dos empresários para que ocorresse o aumento no preço da tarifa era a defasagem do valor que não seria suficiente para cobrir as perdas inflacionárias, gastos com pessoal, manutenção e combustíveis.

 

Neste episódio ocorrido no início do ano, o prefeito foi direto, ao pontuar a qualidade do serviço oferecido ao usuário. Ainda dizendo que primeiro seria necessário falar em melhoria no serviço e não em aumento. 'Pelo que é oferecido à população, o valor atual já está muito caro', ainda disse na ocasião

 

O último aumento da tarifa do transporte coletivo em Cuiabá ocorreu no ano passado, ainda sob a administração do prefeito Mauro Mendes. O valor da tarifa saltou de R$ 3,10 para os atuais R$ 3,60.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia