Cuiabá, 21 de Julho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 04 de Junho de 2024, 18:09 - A | A

04 de Junho de 2024, 18h:09 - A | A

POLÍTICA / PODE PERDER MANDATO

Comissão aprova relatório que pede cassação de Edna Sampaio por suposto esquema de "rachadinha"

Data da sessão que votará cassação ainda não foi definida. Segundo o relator, ficou comprovada a prática ilegal de “rachadinha” com verba indenizatória de ex-chefe de gabinete

Ari Miranda
Única News



Por unanimidade, a Comissão Processante aberta pela Câmara de Cuiabá contra a vereadora Edna Sampaio (PT) deu parecer favorável pela cassação da parlamentar, na manhã desta terça-feira (4). Conforme a relatoria, feita pelo vereador Eduardo Magalhães (Republicanos), ficou comprovada a prática de “rachadinha” em seu gabinete.

Edna Sampaio teve o mandato cassado anteriormente no dia 11 de outubro do ano passado, por fazer "rachadinha" com a verba indenizatória de sua ex-chefe de gabinete, Laura Natasha Abreu. Todavia, quase 2 meses depois conseguiu reverter a cassação e retomar ao cargo por meio de decisão judicial.

RELEMBRE

- Justiça anula cassação de Edna Sampaio

- Cantando samba e Roberto Carlos, Edna Sampaio volta para a Câmara ao lado de petistas e entrega rosa para vereadores

Por telefone, o presidente da Comissão, vereador Sargento Vidal (MDB), disse ao Única News que o relatório da comissão foi concluído e entregue às 16 horas de hoje ao presidente da Câmara, vereador Chico 2000, que é quem definirá o dia e a hora em que a cassação da vereadora será votada.

Conforme Vidal, pelo rito, Chico terá convocar todos os vereadores da Casa com pelo menos 24 horas de antecedência para a sessão extraordinária, que ainda não tem data marcada. No entanto, o presidente da Comissão Processante acredita a votação poderá ocorrer nos próximos dias.

Recentemente, em entrevista a um portal de notícias da capital, Sargento Vidal afirmou que nenhum fato novo surgiu na Comissão Processante em relação à primeira cassação da vereadora, exceto o menosprezo com o qual Edna passou a ignorar o caso.

LEIA - Vidal afirma que indiferença de Edna a comissão processante pode resultar em nova cassação

Durante o período, a parlamentar apresentou dois embargos à CPI, além de recusar-se a receber as intimações da comissão e responder os prazos estabelecidos, chegando até mesmo a ser ríspida com os servidores que tentaram efetuar a entrega de documentos e intimações. Situações que inclusive foram relatadas no documento entregue por Vidal ao presidente da Câmara de Cuiabá.

Além disso, no documento, a relatoria destacou que que Edna ignorou o rito da Câmara de Vereadores sobre o uso da verba indenizatória do gabinete, mencionando comprovantes apresentados pela ex-chefe de gabinete, Laura Natasha Abreu, de conta ligada à Edna para cobrir movimentações parlamentares, pois não tinha acesso à verba indenizatória à qual tinha direito para exercício do seu cargo.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia