Cuiabá, 21 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 11 de Julho de 2024, 10:05 - A | A

11 de Julho de 2024, 10h:05 - A | A

POLÍTICA / DECISÃO EM RECURSO

Conselheiro que apontou rombo de R$ 1,2 bilhão na prefeitura não mudará voto: “Não mudou nada”

Fred Moraes
Única News



O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Antônio Joaquim, relator que votou pela reprovação das Contas Públicas da Prefeitura de Cuiabá, sob gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), no ano de 2022, garantiu que mesmo com o recurso impetrado pela defesa do político, não mudará seu voto na nova avaliação das contas.

Em entrevista à imprensa, o conselheiro disse que está convicto de sua decisão e que não acredita em uma mudança de parecer.

“Olha, não mudou a nada, a decisão foi tomada lá atrás na votação em que seis conselheiros aprovaram meu voto emitindo parecer contrário as contas, continua igual. O que nesse momento ocorre é que ele está com recurso previsto em lei, eu acho que nós não podemos questionar, talvez o tempo de resolver. Eu pessoalmente tenho convicção do que fiz, dificilmente vou mudar a minha posição”, disse o conselheiro.

“Da minha parte eu tenho convicção pelo que eu fiz, tenho a consciência tranquila de que fiz um voto correto e tanto que fiz conselheiros acompanharam conselheiro ficou seis a um”, continuou.

O recurso de Emanuel foi recebido no mês de maio, pelo conselheiro Valter Albano, solicitando uma nova análise. Conforme Antônio Joaquim, o novo julgamento deve acontecer nos próximos 15 dias.

“Cabe agora ao relator que recepcionou o recurso, esperar a decisão do recurso do Plenário. Um conselheiro não tem autoridade de mudar uma decisão plenária. Então tem que levar ao Plenário, eu acho que agora está num processo já de findando o prazo de defesa e vai ao plenário pra definir de forma definitiva, né?”, finaliza.

Antônio Joaquim foi o relator das contas municipais e recomendou a reprovação do documento apontando um rombo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão nas contas do município.  Apenas o conselheiro Valter Albano votou pela aprovação. Por seis votos a um, as contas de Emanuel foram rejeitadas pelo TCE no fim de 2023.

A decisão final cabe à Câmara de Vereadores de Cuiabá. Como o prefeito entrou com recurso junto ao TCE, o trâmite foi interrompido no legislativo até a decisão final da Corte de Contas.

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia