Cuiabá, 09 de Abril de 2020

POLÍTICA
Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2020, 08h:47

CORRUPÇÃO NA ALMT

Pivetta comenta delação e esquemas de corrupção da era José Riva: ‘lamentável’

Euziany Teodoro
Única News

Divulgação

O vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), pré-candidato ao Senado Federal, comentou a suposta delação do ex-deputado estadual, José Riva, que está em vias de ser homologada pelo Tribunal de Justiça e, supostamente, traz os nomes de 38 deputados e ex-deputados envolvidos em esquemas de propina e corrupção.

Pivetta foi deputado entre 2007 e 2011, período que compreende o poder e influência de José Riva na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, que denunciou ao Ministério Público esquemas de corrupção que duraram 20 anos, entre 1995 e 2014, passando por três governadores: Dante de Oliveira, Blairo Maggi e Silval Barbosa.

A palavra usada por Pivetta para definir o período de corrupção pelo qual passou o Estado foi apenas uma: “lamentável”. Segundo ele, enquanto deputado, nunca obteve sucesso ao protocolar requerimentos sobre informações internas do legislativo.

“É lamentável. Só posso dizer que é lamentável. Eu não via (os esquemas), porque não era visível. Nunca vi uma cena de distribuição (de dinheiro), nem nada. Eu, na época, não tinha sucesso nas minhas iniciativas de aprovar requerimentos, como para pedir lotacionograma, demonstrativos contábeis da Casa, nunca tive sucesso”, conta.

O ex-governador Silval Barbosa, em seu acordo de colaboração premiada, entregou vídeos de vários políticos recebendo dinheiro de propina durante seu Governo. Pivetta, que não aparece nos vídeos, nem é citado nas denúncias, diz que procura não julgar.

“Hoje, já maduro, não julgo ninguém mais. Já fui muito combativo, muito crítico, hoje acho que não é meu papel julgar, nem denunciar, meu papel é fazer certo e procurar dar o exemplo”, disse.

Também afirmou, em entrevista ao Programa Vip na última sexta-feira (7), que nunca precisou usar indevidamente o dinheiro público, pois já estava com a vida estabilizada quando entrou para a política, aos 36 anos, em 1996. Vale ressaltar que Otaviano Pivetta é o político mais rico em Mato Grosso, com bens declarados de R$ 364 milhões.

“Preciso dizer que, quando ingressei na política, com 36 ou 37 anos, em Lucas do Rio Verde, já tinha minha vida arrumada, já tinha alcançado meu sonho material. Era um pequeno agricultor no Rio Grande do Sul, tinha um caminhão e me tornei um grande produtor aqui com a vida estabilizada. Me senti preparado e satisfeito no sonho de consumo e quis me dedicar pra ajudar a construir uma cidade, a minha cidade, que me acolheu e me permitiu realizar meu plano pessoal. Nunca usei um carro público, nunca usei motorista”.

Confira a entrevista completa abaixo.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO




VÍDEO PUBLICIDADE