Cuiabá, 20 de Setembro de 2020

POLÍTICA MT
Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019, 11h:54

DENÚNCIA DO MPE

Rogers Jarbas vira réu por ameaçar delegado que investiga Grampolândia

Claryssa Amorim
Única News

(Foto: Reprodução)

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) aceitou a denúncia do Ministério Público do Estado (MPE) contra o ex-secretário de Segurança Pública (Sesp), delegado Rogers Jarbas, por ameaçar o delegado Flávio Stringueta dentro de um supermercado, na Capital.

A decisão é do juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, dessa quinta-feira (17).

Na época, Stringueta era o delegado responsável pelas investigações das interceptações ilegais, esquema que ficou conhecido como a “Grampolândia Pantaneira”. Jarbas foi preso na Operação Esdras por suspeita de envolvimento nos grampos.

Após a decisão do magistrado, o ex-secretário Jarbas se torna réu na ação penal e deve responder pelo crime do artigo 344 do Código Penal.

No artigo, é crime “usar de violência ou grave ameaça, com o fim de favorecer interesse próprio ou alheio, contra autoridade, parte, ou qualquer outra pessoa que funciona ou é chamada a intervir em processo judicial, policial ou administrativo, ou em juízo arbitral”.

As ameaças ocorreram quando Jarbas ainda era secretário da Sesp, sendo imputadas a ele várias acusações, como abuso de autoridade, denúncia caluniosa e prevaricação, além de supostamente tentar confundir investigação de infração penal com organização criminosa.

O Ministério Público apresentou denúncia contra o ex-secretário no dia 13 de setembro, informando que a ameaça contra o delegado responsável pelas investigações da Grampolândia aconteceu no dia 28 de março do ano passado.

Na denúncia, o órgão ainda ressalta que, após as tentativas de intimidação no interior do supermercado, Rogers ainda procurou o delegado Stringueta no estacionamento, provocando uma discussão, chamando-o de “safado” e instando-o a resolver as coisas de “homem pra homem”.

As imagens do circuito interno, de acordo com a denúncia, demonstram que a investida teve “requinte de premeditação” para favorecer interesse próprio ou alheio. A pena é de um a quatro anos de reclusão e multa.

A perseguição

(Foto: Reprodução)

Jarbas e Stringueta no mercado

 

Na denúncia, o MP cita que a ameaça aconteceu no dia 28 de março do ano passado, em um supermercado em Cuiabá. O MP cita que Jarbas passou a “mapeá-lo”.

Imagens de circuito interno do supermercado flagraram o ex-secretário se escondendo atrás de um pilar para monitorar Flávio Stringueta. As imagens foram anexadas junto à denúncia do Ministério Público.

Nas imagens, primeiro Jarbas (blusa laranja) encontra Stringueta (camisa cor vinho) e, em seguida, se “esconde” atrás de um pilar dentro do mercado, na sessão de frios, “numa clara tentativa de mapeá-lo”, como consta na denúncia do MP.

Depois de seis minutos, ao perceber que Stringueta foi até um caixa de cobrança para passar as compras, rapidamente o seguiu. Com 22 caixas disponíveis, Jarbas foi até o mesmo utilizado pelo delegado, de número 9.

Depois seguiu para o estacionamento atrás do delegado Stringuetta e foi onde ocorreu as ameaças.

(Foto: Reprodução)

Jarbas e Stringueta no mercado

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE