Cuiabá, 23 de Maio de 2024

RADAR NEWS Terça-feira, 07 de Março de 2017, 14:37 - A | A

07 de Março de 2017, 14h:37 - A | A

RADAR NEWS / CONSELHEIRO

Com entrada de Maluf no páreo, acirra disputa por vaga no TCE-MT

Da Redação



(Foto: AL-MT)

deputado - guilherme-maluf.jpg

 

Agora é tudo ou nada, depois que o deputado tucano Guilherme Maluf, atualmente primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia, assumiu que vai brigar pela vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado. Maluf assumiu publicamente, o que já vinha falando mais intimamente para amigos e correligionários. E começa jogar às claras, se articulando, como pode, para abocanhar a vaga no TCE.

 

Indiferente à corrida pela vaga do colega parlamentar, o social democrata, Zé Domingos Fraga que se lançou já há algum tempo candidato, Maluf começou a 'mexer os pauzinhos', pelos bastidores políticos.  Além de Fraga, 'corre pela raia de fora' o deputado Sebastião Rezende (PSC), que sonha com a vaga, mas opta em evitar falar sosbre o assunto, mas sabe-se que vem realizando algumas negociações neste sentido.

 

Para amenizar o tom da disputa, Maluf no entanto gosta de responder, ao ser questionado sobre o assunto, que sua pretensão exige ainda a liberação da vaga que está sob júdice. Assim, quaisquer discussões neste momento seria um 'exercício de futurologia'.

 

Obviamente quem não está gostando nada disto é o deputado Domingos Fraga que 'dá de ombros', dizendo que a disputa é democrática, mas garante que ele não desiste e ainda revela que ele[Fraga] 'é o mais apto para o cargo e que irá não só para sabatina, mas para o embate com o colega tucano, caso precise'. Lamentando ainda que esta negociação, que o colocou na disputa - para assumir a cadeira que pertencia ao ex-conselheiro Humberto Bosaipo-, já era um acordo selado de muito tempo e Maluf sabia.

 

A vaga no TCE está em aberto  desde dezembro de 2014,quando Bosaipo renunciou. A sucessão foi paralisada pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski,  a pedido da Associação Nacional dos Auditores dos Tribunais de Contas (Audicon) através de Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin).

 

Na Adin, Audicon sustentou a existência de restrições  indevidas na Constituição Estadual para a nomeação de auditores substitutos  para o cargo de conselheiro. Era exigida a comprovação de 10 anos no exercício da função, o que torna qualquer indicação inviável nos próximos anos. Com objetivo de destravar a indicação ao TCE, a Assembleia precisa revogar a emenda constitucional 61 que coloca as restrições. A revogação já foi aprovada em primeira votação e deve ser confirmada em segunda nos próximos dias. 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

GRUPO 1  -  GRUPO 2  -  GRUPO 3

Comente esta notícia