Cuiabá, 24 de Novembro de 2020

VARIEDADES
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020, 08h:42

RECONHECIMENTO

Chef Janaína Rueda é eleita Ícone da América Latina 2020

Cozinheira e sócia do Bar da Dona Onça e de A Casa do Porco, chef é a vencedora do American Express Icon Award 2020, concedido pelo Latin America’s 50 Best Restaurants

Revista QUEM

(Foto: Divulgação) Salvar

A chef Janaína Rueda foi anunciada pelo The World's 50 Best Restaurants a Ícone da América Latina em 2020 (American Express Icon Award 2020). Ela é cozinheira e sócia do Bar da Dona Onça e d'A Casa do Porco, em São Paulo.

O prêmio celebra agentes da gastronomia que contribuem de forma notável para o setor, usando sua visibilidade para aumentar a conscientização sobre pautas importantes e promover mudanças positivas no meio. O anúncio do nome de Janaína Rueda como a homenageada do ano é parte da contagem regressiva virtual para a divulgação da lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina, marcada para 3 de dezembro.

“É muito gratificante e emocionante ser reconhecida por um prêmio como este. Minha esperança é que este espaço ajude a aumentar a conscientização sobre assuntos mais importantes, como o debate sobre diversidade e a busca por uma gastronomia cada vez mais inclusiva e democrática. É nosso papel, como agentes da alimentação, apoiar os mais vulneráveis, especialmente neste momento de pandemia. O tempo para a mudança é agora!”, afirma Janaína.

Ao fecharem as portas de seus quatro restaurantes no Centro de São Paulo no início da pandemia, Janaína e seu marido, o também chef Jefferson Rueda, resolveram ajudar de alguma forma os muitos desempregados do setor. Ela começou a mobilizar contatos, ajudando a reunir quase mil chefs e outros agentes da indústria da hospitalidade, como empresários da hotelaria e do comércio.

 

O Bar da Dona Onça, instalado em um dos edifícios mais emblemáticos de São Paulo, o Copan, funcionava como ponto de coleta e distribuição de donativos essenciais, como alimentos e materiais de limpeza e higiene, para a comunidade em situação de vulnerabilidade social. E Janaína cozinhava em casa, também no Centro da capital, para alimentar os mais necessitados na região.

“Nestes tempos difíceis para a indústria da hospitalidade, Janaína Rueda se dedicou a esforços vitais de recuperação. Ela acredita verdadeiramente no direito de todos a terem acesso a uma alimentação boa e saudável e defende a gastronomia como uma alavanca para a mudança social. Seu desejo de inspirar mudanças positivas a torna a recebedora perfeita deste prêmio em 2020”, afirma o diretor de conteúdo do Latin America’s 50 Best Restaurants, William Drew.

Janaína Rueda cresceu no Centro de São Paulo, onde hoje tem quatro casas, ajudando a transformar o bairro de sua infância em um democrático polo gastronômico e cultural. Primeiro veio o Bar da Dona Onça, em 2008, com sua comida afetiva. Depois, em 2015, A Casa do Porco, alta gastronomia com preços acessíveis. E, por último, vieram a lanchonete de cachorros-quentes Hot Pork e a vizinha Sorveteria do Centro. O próximo projeto, previsto para 2021, é a Mercearia da Cidade, misto de padaria e armazém onde será possível encontrar pães, iogurtes, geleias e, claro, embutidos artesanais produzidos pelos Rueda.

“É muito gratificante e emocionante ser reconhecida por um prêmio como este. Minha esperança é que este espaço ajude a aumentar a conscientização sobre assuntos mais importantes, como o debate sobre diversidade e a busca por uma gastronomia cada vez mais inclusiva e democrática. É nosso papel, como agentes da alimentação, apoiar os mais vulneráveis, especialmente neste momento de pandemia. O tempo para a mudança é agora!”, afirma Janaína.

Ao fecharem as portas de seus quatro restaurantes no Centro de São Paulo no início da pandemia, Janaína e seu marido, o também chef Jefferson Rueda, resolveram ajudar de alguma forma os muitos desempregados do setor. Ela começou a mobilizar contatos, ajudando a reunir quase mil chefs e outros agentes da indústria da hospitalidade, como empresários da hotelaria e do comércio.

 

O Bar da Dona Onça, instalado em um dos edifícios mais emblemáticos de São Paulo, o Copan, funcionava como ponto de coleta e distribuição de donativos essenciais, como alimentos e materiais de limpeza e higiene, para a comunidade em situação de vulnerabilidade social. E Janaína cozinhava em casa, também no Centro da capital, para alimentar os mais necessitados na região.

“Nestes tempos difíceis para a indústria da hospitalidade, Janaína Rueda se dedicou a esforços vitais de recuperação. Ela acredita verdadeiramente no direito de todos a terem acesso a uma alimentação boa e saudável e defende a gastronomia como uma alavanca para a mudança social. Seu desejo de inspirar mudanças positivas a torna a recebedora perfeita deste prêmio em 2020”, afirma o diretor de conteúdo do Latin America’s 50 Best Restaurants, William Drew.

Janaína Rueda cresceu no Centro de São Paulo, onde hoje tem quatro casas, ajudando a transformar o bairro de sua infância em um democrático polo gastronômico e cultural. Primeiro veio o Bar da Dona Onça, em 2008, com sua comida afetiva. Depois, em 2015, A Casa do Porco, alta gastronomia com preços acessíveis. E, por último, vieram a lanchonete de cachorros-quentes Hot Pork e a vizinha Sorveteria do Centro. O próximo projeto, previsto para 2021, é a Mercearia da Cidade, misto de padaria e armazém onde será possível encontrar pães, iogurtes, geleias e, claro, embutidos artesanais produzidos pelos Rueda.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.


MATÉRIA(S) RELACIONADA(S)




VÍDEO PUBLICIDADE